Quando viajamos com mala de mão, não estamos à espera que, à última da hora, e muitas vezes já na fila de embarque, nos venham pedir que a mala seja colocada no porão por falta de espaço nas cabines do avião. Estas malas, na maior parte dos casos, não têm fechos de segurança porque, à partida, era suposto irem ao pé do passageiro. Mas este tipo de situação acontece cada vez com maior frequência.

A Which? Travel realizou uma pesquisa precisamente para saber quais as companhias áreas que mais "forçam" os passageiros a colocar as suas malas de cabine no porão, com a justificação da falta de espaço.

A Ryanair lidera, com 26% dos passageiros, em segundo lugar surge a easyjet (15%) e em terceiro a Aer Linguas (11%). A estas companhias seguem-se a KLM (10%), Monarch (7%), Jet2.com (6%), British Airways (4%) e a Flybe (3%).

O estudo alerta para as consequências desta situação. Muitas vezes, os passageiros não têm tempo de retirar da mala objetos de valor e o tempo de espera pela bagagem leva a atrasos na chegada ao destino ou até possível perda de voos de ligação. Em caso de desaparecimento de objetos de valor, a maior parte das companhias áreas não indemniza.

Afirma, também, que enquanto as companhias aéreas encorajam o passageiro a viajar apenas com mala de mão, num voo cheio, a capacidade para levar malas de cabine desce, nalguns casos, para metade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.