Bilhete-postal enviado por Cátia Vilela

Estávamos de lua-de-mel, fizemos um cruzeiro magnífico com duas paragens, em dias diferentes, na ilha de Santorini. Na primeira paragem fomos em excursão e estava tudo planeado. Na segunda paragem, como forretas que somos, pensámos que podíamos subir e descer a pé... ver os burros... ver a paisagem fantástica... e, última e principal razão, poupar algum dinheiro... foi a pior decisão da nossa vida! Não quero exagerar, mas acreditem que foi mesmo uma péssima decisão!

Começámos alegremente a nossa subida, fotografando os burritos tão famosos na ilha, a um bom ritmo e super felizes com a nossa decisão, mal sabíamos nós no que aquela subida se ia transformar, pelo menos para mim...

Disfrutámos da paisagem até nos aparecerem os primeiros burros (animais irracionais) que trabalhavam para ganhar o seu fardo de feno por dia. Imaginem-se a descer uma rua de calçada, calçada essa que está um tanto ou quanto gasta, e para ajudar à festa também as vossas solas dos sapatos já não são novas, escorregam um bocadinho não é verdade?! Pois... aconteceu o mesmo aos bichinhos que nos pareciam tão fofinhos!

Só sei que de repente fiquei frente a frente com o rabo de dois destes burros trabalhadores e, pelo menos para mim, não foi nada, mas mesmo nada agradável! Pensei que ia deixar viúvo o marido, que teve a audácia de se desviar dos burritos sem defender a sua princesa (como quem diz esposa amada). Podem imaginar agora a minha alegria na continuação da subida, sempre que ouvia cascos a bater no chão subia para cima do muro que ladeava a escadaria, mesmo que não houvesse grande espaço em cima dele ou que para lá dele só houvesse o precipício!

E quando chegámos ao destino, que é como quem diz ao fim da subida! Nem imaginam o pivete a chichi de burro! Desnecessário será dizer que na volta impus que se fizesse a descida no teleférico sob risco de me transformar numa ilustre cidadã grega!

Moral da história, Santorini é linda, os burros de Santorini são lindos e merecem ser vistos pelo menos uma vez na vida, mas não façam como nós, nunca mas nunca subam as escadas de Santorini a pé sim?! Caso contrário arriscam-se a ter um encontro imediato com os ditos animaizinhos trabalhadores e o desfecho pode ser pior que o meu!

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.