O Petit Jardin, em Saint-Guilhem-le-Désert (na foto), uma pequena localidade no sul de França, tem logo um aviso à porta para não haver dúvidas.

Quem entra neste restaurante está proibido de usar o telemóvel. O objetivo é promover a conversa e encorajar os valores tradicionais franceses à mesa.

Para o dono do restaurante, Hean-Noel Fluery, "se as pessoas aceitam desligar o telemóvel no cinema e no teatro, por que não nos restaurantes?, disse ao The Local.

De forma a desencorajar o uso do telemóvel dentro do restaurante e durante a refeição, o Petit Jardin tem um sistema bem montado, através de cartões amarelos e vermelhos. Ao estilo de um jogo de futebol, sempre que alguém é visto a usar o aparelho, o empregado de mesa sopra um apito e levanta um cartão amarelo. Se o aviso for ignorado, então é levantado um cartão vermelho e o cliente convidado a sair.

Segundo o dono do Petit Jardin, a geração mais nova é a que tem mais dificuldade em aceitar a proibição, o que gera alguns comentários menos agradáveis na página de Facebook do restaurante.

Além dos telemóveis, no restaurante também não entra ketchup e coca-cola. O uso de produtos locais e regionais é imperativo.

Esta tendência de proibir os telemóveis dentro de restaurantes e cafés tem vindo a ganhar aos poucos cada vez mais adeptos.

O restaurante estrela Michelin "Grenouillère", em França, começou a proibição logo em 2014. O "Carthage Must Be Destroyed", um café em Brooklyn (EUA), também não quer os seus clientes a tirarem fotos no seu interior. Aliás, no menu encontra-se o seguinte aviso: "No photo shoots/No commercial or media photography inside or outside".

O Shehab Khan, em Leamington Spa, Inglaterra, também aderiu em 2016 à proibição, segundo noticiou o The Independent.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.