Viajamos para o Japão, mal entramos no novo Udon, Noodle Bar & Restaurant, o número 50 da cadeia espanhola e o primeiro a abrir portas em Lisboa. As referências ao Oriente estão na decoração - temos até uma cerejeira branca em flor - nas loiças e, sobretudo, nos ingredientes, na confeção e nos sabores. O restaurante inaugurou a 1 de junho, mas acaba de lançar uma nova carta, a pensar nos meses frios que se avizinham.

A marca nasceu há 14 anos em Barcelona pela mão de dois empresários espanhóis e, se o primeiro restaurante era de reduzidas dimensões, rapidamente cresceu, multiplicando-se por vários pontos do país vizinho. Virou-se agora para o nosso país, onde conta com o grupo Alentejo como parceiro e está já a estudar a possibilidade de abrir mais espaços dedicados essencialmente aos noodles.

Se o conceito é praticamente igual ao que encontramos nos restaurantes espanhóis, por cá, houve necessidade de proceder a ligeiras alterações. Conta-nos o diretor Henrique Costa Pereira que, “relativamente ao sal e ao açúcar, temos gostos um pouco diferentes. Neste restaurante, houve a necessidade de aumentar um pouco a quantidade de sal e reduzir a quantidade de açúcar”. Além disso, adianta, “o nosso menu tem vinhos portugueses e café português”.

Udon: o melhor da comida japonesa serve-se no novo restaurante da capital
créditos: DR

O ambiente descontraído, mas sofisticado, está bem vincado no espírito deste restaurante ou não fosse a mesa central, comprida, a ocupar boa parte da sala, a protagonista do espaço. Apela à partilha, a boas conversas e, sobretudo, boas viagens gastronómicas pela Ásia. Além do Japão, cabem no menu pratos de outros países asiáticos, como a Tailândia ou a Coreia.

Para quem prefere ter mais privacidade, há algumas mesas separadas por biombos, e, numa das paredes, foi construído um banco corrido para maior conforto dos clientes. “É outro ponto que nos distingue dos nossos vizinhos espanhóis. Valorizamos muito mais o conforto e a privacidade, pelo que este restaurante tinha de espelhar isso mesmo”, revela Henrique Costa Pereira.

Udon: o melhor da comida japonesa serve-se no novo restaurante da capital
créditos: DR

No Udon português, foi criado um menu do dia. O prato e a bebida custam 8,95€ e, se acrescentarmos entrada e sobremesa, a refeição fica por 12,95€.

Mas, vamos à comida que os aromas intensos dos pratos que vão saindo da cozinha já nos abriram o apetite.
Nada como começar com uma das novidades desta carta de outono-inverno: o Corral Chicken Nem (4,20€), que se apresenta sob a forma de dois crepes crocantes de massa de arroz com frango do campo, hortelã e molho de pimenta doce. Nota-se a frescura dos ingredientes, a maioria biológicos, garante o responsável. Nota-se também o cuidado na confeção e na apresentação. Porque comer é muito mais do que satisfazer apenas o paladar.

Ainda nas entradas, tive oportunidade de experimentar as gyozas, que não são mais do que pastéis com recheio de carne ou legumes, originalmente provenientes da culinária chinesa, mas muito usuais no Japão e noutros países asiáticos. No Udon, são servidas com frango de caril, legumes, gambas com alho fresco e porco (quatro custam 5,50€). Provei de frango e de legumes e ambas me convenceram. Gostei especialmente dos sabores mais intensos do caril no frango.

Ramen
Ramen créditos: DR

Nos pratos principais, a base de alimentação dos japoneses é o arroz e a massa. Nesta carta, encontramos quatro opções com arroz, mas o grande destaque vai mesmo para os noodles: udon, que dá nome ao restaurante, feito com farinha de trigo, soba com trigo integral, ramen, macarrão cozinhado com uma sopa, e massa de arroz.

Para quem gosta mesmo de sushi, pode experimentar os Noodle Rolls, com noodles em vez de arroz. Há uma nova opção na carta com tártaro de atum vermelho Balfegó, queijo cremoso, abacate, tártaro de tomate e molho teriyaki (4 rolls custam 6,95€). Este atum conquistou há anos um lugar de destaque no país vizinho. Segundo o diretor do espaço, “a empresa fornecedora recria todas as técnicas asiáticas de captura”.

Outra novidade é o Pad Thai de frango (10,95€), que se junta ao de camarão (11,20€), um sucesso da carta anterior. Este foi um dos pratos que me conquistou quando estive na Tailândia e não perco uma oportunidade de voltar a sentir um pouco do espírito do país do sorriso. Experimentei, assim, a massa de arroz, muito leve e com os temperos no ponto, acompanhada por cenoura, courgete, tamarindo, rebentos de soja e amendoim, além do camarão.

Pad Thai
Pad Thai créditos: DR

Ainda tive oportunidade de provar o Ramen, a tal massa que vem acompanhada de um caldo e que leva carne, peixe ou legumes. Optei pelo Tempura Soba (9,95€) para experimentar a massa de trigo sarraceno. É servida com legumes biológicos panados e camarão com alga nori (fonte de proteínas vegetais) à parte, precisamente para que se mantenha crocante. Mas existem várias opções na carta, como o Tampopo Ramen (10,95€), que leva caldo de frango feito com soja e acompanha com fatias de panceta de porco marinado, milho doce, bambu, ovo do campo semi-cozido e marinado, naruto, alga nori e cebolete verde.

Para adoçar a boca no final da refeição, há brownie, gelados e salada de fruta, mas optei pelos mochis, pequenas bolas feitas de arroz glutinoso (um pouco pegajoso). Fazem parte da gastronomia japonesa e são servidos tradicionalmente no Ano Novo e em ocasiões especiais. No Udon, estão disponíveis diariamente duas versões: chocolate e cheesecake e morango. Porque, afinal, todos os dias são especiais.

O restaurante Udon fica na Avenida Duque de Ávila e está aberto de segunda a domingo, entre as 12 e as 23 horas.

Por Helena Simão, blogger do Starting Today

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.