Se está nos seus planos viajar para Munique, não deixe de experimentar esta iguaria alemã que combina a carne de pato com a famosa conserva de repolho fermentado.

Sabia que apesar de associado à tradição germânica, o chucrute teve uma origem diferente? Existem pelo menos duas teorias: uma delas diz que foi trazido para a Europa pelo imperador mongol Gengis Khan; outra defende que nasceu na China e chegou ao Velho Continente pela mão dos Tártaros.

Hipóteses à parte, eis a receita deste prato ideal para os dias mais frios.

INGREDIENTES

  • 1 pato inteiro
  • 20 g banha ou 2 colheres de óleo ou de manteiga
  • 2 cebolas médias
  • 1 maçã média
  • 500 g de chucrute
  • 2 chávenas de caldo de carne ou galinha
  • 250 ml de vinho branco meio seco
  • Sal e pimenta q.b.
  • 1 pitada de cominhos
  • 50 g de bacon, para acentuar o sabor da carne (opcional)

PREPARAÇÃO DO PATO

Tempere o pato por dentro e por fora com o sal e a pimenta e leve a assar por duas horas, a 160ºC. Regue, a cada 15 minutos, com o líquido que se solta na assadeira, de modo a que a carne fique mais dourada e não resseque.

Retire do forno e corte em quatro pedaços grandes: dois de peito e dois de coxa e sobrecoxa.

PREPARAÇÃO DO CHUCRUTE

Corte as cebolas, a maçã e o bacon em cubinhos. Refogue numa panela com banha, óleo ou manteiga, em lume brando, por alguns minutos, até a cebola e a maçã alourarem e a mistura ficar brilhante.

Junte o chucrute, o caldo de carne, o vinho e os cominhos. Deixe cozinha em lume brando, por 15 a 25 minutos. Verifique a cozedura a cada dez minutos. Se necessário, acrescente água, mas tenha em atenção que o chucrute, tal como o risoto, não deve ficar nem muito húmido nem muito seco.

Retire do lume e espere 30 minutos para acentuar o sabor. Sirva acompanhado de batatas cozidas, puré de batata ou arroz.

Munique desde 54€