Em 1964, o cantor francês Gilbert Bécaud lançava a música Nathalie, que viria a ser um sucesso em França. A letra desta balada falava sobre uma bela guia turística soviética, que o cantor tinha conhecido em Paris, a beber um chocolate quente num tal de Café Pushkin em Moscovo.

Devido ao sucesso da música, os franceses que visitavam a capital russa procuravam o encantador café para beber o chocolate quente da Nathalie. Porém, quando perguntavam onde ficava, os moscovitas diziam desconhecer o café - isto porque ele não existia, era um lugar ficcional.

“Elle parlait en phrases sobres
De la révolution d'octobre
Je pensais déjà
Qu'après le tombeau de Lénine
On irait au café Pouchkine
Boire un chocolat”

Quem aproveitou esta lacuna foi Andrei Dellos que, também inspirado pela música, uma vez que é franco-russo, decidiu abrir o Café Pushkin, no lugar onde ele deveria existir, em Moscovo.

A 4 de junho de 1999, o Café Pushkin abriu na Tverskoy Boulevard, num edifício antigo barroco, outrora uma farmácia. Na inauguração, Gilbert Bécaud cantou a canção "Nathalie". A escolha do café não foi ao acaso: a zona em redor de Tverskoy Boulevard era muito frequentada por Alexander Pushkin, o poeta russo. Em 1796, a avenida era um lugar favorito entre a alta sociedade de Moscovo para passeios, e Pushkin podia ser encontrado lá frequentemente.

Veja abaixo a fotogaleria do Café Pushkin em Moscovo

O Café Pushkin é antigo e tem um ar decadente: quando entramos, faz-nos voltar atrás no tempo - essa era intenção de Andrei Dellos. O café tem quatro pisos, sendo um deles um terraço, para aproveitar os dias mais quentes. Aqui pode-se almoçar, jantar, tomar o pequeno-almoço ou simplesmente lanchar, seja a que hora for. Sim, este lugar está aberto 24 horas.

Um lugar obrigatório para os que gostam de sítios clássicos e imperdível para os que estão de passagem por Moscovo. Destacamos os pisos onde se pode jantar ao lado de uma gigante lareira ou o piso da biblioteca palaciana, com estantes cheias de livros antigos, até porque é um lugar que pretende homenagear um escritor influente.

Entre os pratos, destaca-se o strogonoff, os folhados recheados, os enchidos e os peixes fumados. Não se atrevam a deixar o Nathalie sem provar o (teatral) crème brûlée de pistacho.

O proprietário Andrei Dellos expandiu o seu Café Pushkin até Paris: a versão parisiense  foi inaugurada a 30 de novembro de 2017, na place de la Madeleine.

Dellos vai continuar a expandir o negócio, tendo planos para abrir no Qatar, Arábia Saudita, Mónaco, Marrocos, Emirados Árabes Unidos e também em Portugal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.