São biscoitos diferentes, embora tenham o mesmo nome.

Biscoito da Teixeira de Lamego
Biscoito da Teixeira, de Baião @visitbaiao.pt

“O da zona de Baião é mais escuro, mais parecido com um bolo. O nosso fica mais estaladiço e é mais branco. Temos também o amarelo porque leva ovos.” A explicação é de Cristina Lobão que fabrica o biscoito da Teixeira de Lamego.

Biscoito da Teixeira de Lamego
créditos: andarilho.pt

A massa interior é branca, a textura é suave, pouco doce e domina o sabor a limão.

O formato também é diferente. É retangular e os biscoitos que Cristina Lobão fabrica têm a forma de um oito deitado. “Fazem-se duas rodas nas formas. Vai ao forno e fica com esse feitio, com a forma de um oito.

Ao contrário de muitos doces regionais, provenientes da doçaria conventual, os biscoitos da Teixeira terão origem em comunidades de escassos recursos tendo em conta os poucos ingredientes.  O “biscoito branco é o mais tradicional. O amarelo surgiu depois. Leva na mesma açúcar, farinha e limão, mas tem ainda ovos e canela.”

Biscoito da Teixeira de Lamego
créditos: andarilho.pt

A receita passou de geração em geração, mas não está massificada. Só algumas famílias conhecem o segredo a que a mãe de Cristina Lobão teve acesso há várias décadas. “Só quem está no ramo é que sabe fazer. Isto tem um segredo. Só as senhoras biscoteiras é que o sabem fazer.”

A textura, o sabor suave e o facto de se poder guardar durante algum tempo ajuda a que seja consumido em festas e romarias. “Gostam muito de os consumir com café, vinho do Porto ou champanhe.”

Biscoito da Teixeira de Lamego
créditos: andarilho.pt

Devido a este ritual, quando de uma romaria na região de Lamego, Cristina Lobão aumenta a produção.

Produzem durante todo o ano. Já temos clientes certos e estamos sempre a fazer. No verão é maior a quantidade.”

A tradição, o consumo habitual, seja em casa ou em festividades, por visitantes ou emigrantes, permite uma produção contínua.

Biscoito da Teixeira de Lamego
créditos: andarilho.pt

Muitos dos clientes vão ao seu encontro no ponto de venda ambulante em Lamego, na Av. Dr. Alfredo de Sousa, relativamente próximo das escadas de Nossa Senhora dos Remédios, “vendo sempre todo o ano na Avenida”.

Foi a mãe, Delfina Adrega, que popularizou a banca com os doces regionais a satisfazer a gula dos locais e visitantes. Agora, dos seis irmãos, foi Cristina Lobão que ficou com a tarefa de dar continuidade à produção do tradicional biscoito da Teixeira.

Biscoito da Teixeira de Lamego
créditos: andarilho.pt

Biscoito da Teixeira de Lamego para saborear com café, vinho do Porto ou champanhe faz parte do programa da Antena1 Vou Ali e Já Venho e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.