Como chegar e como explorar a região

Há voos diretos de Portugal para Florença e para Pisa, por isso voar para estas cidades é a melhor opção para quem quer visitar a região.

Chegando lá, podem alugar um automóvel, que permite maior liberdade e dá a possibilidade de conhecer as cidades mais distantes e menos turísticas. Mas se têm pouco tempo disponível e preferem usar o comboio também não ficam mal. Para terem uma ideia, espreitem aqui o tempo aproximado de viagem entre a estação de Florença e algumas das principais cidades e vilas da Toscana:

  • Florença a Arezzo - de 30 minutos a 50 minutos
  • Florença a Borgo San Lorenzo - de 40 minutos a 1h15
  • Florença a Lucca - de 1h20 a 1h50
  • Florença a Pisa - de 50 minutos a 1h25
  • Florença a Siena - de 1h30 a 1h50
  • Florença Viareggio - de 1h15 a 1h40
  • Florença a Pistoia - de 33 minutos a 50 minutos
  • Florença a Volterra - de 2h30 a 3h30

Os tempos variam consoante o tipo de comboio que apanhamos (InterCity ou Regionale).

Um inconveniente de várias cidades toscanas é que muitas estão localizadas no topo de uma colina. Este é o caso de Siena, Cortona e Volterra, por exemplo, e mesmo quando são acessíveis por comboio, a estação fica na parte inferior da cidade e depois é preciso apanhar um autocarro local para nos levar até ao centro (curta distância) ou então estar preparado para andar ladeira acima para chegar ao destino.

Podem combinar o comboio com os autocarros ou tours de um dia a partir das cidades principais se tiverem tempo e quiserem conhecer mais locais na região.

O que visitar

Florença é a maior e a principal cidade da Toscana. É um símbolo de beleza e excelência artística e atrai visitantes de todo o mundo com a sua bela Catedral Santa Maria del Fiori e a famosa cúpula projetada por Brunelleschi.

Abriga ainda a famosa escultura David de Michelangelo e a Galeria Uffizi — um dos maiores museus do mundo e o melhor lugar para apreciar a arte renascentista. Esta é uma cidade belíssima, cercada por colinas e adornada por algumas das melhores obras arquitetónicas da Itália.

É a melhor base para explorar a região se forem usar o comboio como meio preferencial de deslocação e é também o melhor ponto de partida para uma viagem pela região se forem alugar um carro.

Florença, Itália
Florença créditos: Unsplash

Siena é a arquitetura gótica no seu melhor e possui um dos centros medievais mais bem preservados da Toscana. É pequeno e compacto, com uma esplêndida praça medieval, a Piazza del Campo (que recebe a histórica corrida de cavalos anual "Il Palio”) e alguns edifícios emblemáticos como a Catedral — considerada uma das igrejas góticas mais importantes de toda a Itália.

A paisagem circundante é igualmente encantadora e merece visita. Inclui algumas das áreas mais extraordinárias da Toscana — a região de Chianti e o Val d'Orcia.

Pisa é a casa da mundialmente famosa Torre Inclinada. Essa visão é por si só um motivo para visitar esta pequena cidade, localizada numa planície a menos de 10 km da costa do Tirreno.

O complexo da Catedral na Piazza dei Miracoli, do qual a torre faz parte, fica nos arredores do centro da cidade e podemos passar meio dia a explorá-lo. É uma cidade universitária animada e vibrante, com bons restaurantes e cafés e um centro histórico com uma arquitetura medieval interessante.

Lucca é uma linda cidade cercada por muralhas renascentistas, o único exemplo deste tipo de fortificação ainda intacta na Itália. Seduz o viajante com as suas belas igrejas medievais e agradáveis ​​praças. Está situada no norte da Toscana, entre a costa tirreniana e a área montanhosa de Garfagnana.

San Gimignano é uma das principais cidades medievais da Itália e património mundial da UNESCO. A sua famosa silhueta é um símbolo da Toscana. Fica situada a meio caminho entre Florença e Siena e faz-nos recuar no tempo assim que passamos pela sua Porta San Giovanni, com a sua mistura perfeita entre o romântico e o histórico.

A belíssima Piazza Cisterna com o seu um pitoresco poço de pedra no centro é uma das atrações, assim como a adjacente Piazza Duomo que está cheia de detalhes arquitetónicos interessantes.

Os frescos da Catedral Collegiata de Santa Maria Assunta, justificam a sua visita e o Museo Civico que fica dentro do Palazzo del Popolo, situado ao lado da catedral também merece uma paragem assim como o Museu de Arte Moderna e Contemporânea Raffaele Grada que possui uma boa coleção de pinturas do século XX.

Escalar a Torre Grossa (grande torre) no Palazzo del Popolo pode ser uma tarefa árdua com os seus 214 degraus íngremes, mas a vista do topo é de tirar o fôlego e é definitivamente uma das melhores coisas para se fazer em San Gimignano.

San Gimignano
San Gimignano créditos: Pixabay

Arezzo e Pistoia merecem uma visita pelos seus belos centros históricos. Arezzo fica no leste da Toscana, perto da Cordilheira dos Apeninos. É um centro rural, com forte tradição artesanal e importantes obras de arte. O coração da cidade é a magnifica Piazza Grande, mas todo o centro histórico é lindo e é possível que o reconheçam pois serviu de cenário a algumas cenas do filme de Roberto Benigni “A Vida é Bela”.

Pistoia, a meio caminho entre Florença e Lucca, é uma cidade mais tranquila, fora da rota turística principal. Aqui destaca-se a adorável Piazza Duomo e a animada Piazza della Sala.

Grosseto é uma cidade agradável e tranquila na região de Maremma, no sul da Toscana. É esquecida pela maioria dos turistas por não ter nenhuma atração importante. Mas é um lugar agradável onde podemos sentir a verdadeira vida toscana, com uma bela praça central e um museu arqueológico interessante cheio de artefactos etruscos. Podem chegar a Grosseto apanhando um comboio em Siena (demora entre 1h30 a 1h50).

Volterra hoje em dia é famosa por duas coisas: etruscos e vampiros (esta última graças à série Twilight de Stephenie Meyer). Fica no cimo das colinas de Val di Cecina e é uma das mais belas cidades muradas da Toscana.

Era um lugar mágico e surreal muito antes da saga Crepúsculo o colocar no mapa. Para alguns, isso vem do seu passado etrusco, visível na antiga Porta all'Arco e no Museu Etrusco Guarnacci, com a sua impressionante coleção de urnas funerárias etruscas e a famosa estatueta "Ombra della Sera". Para outros, é a sensação medieval dos seus becos e casas de pedra, algo que o torna o cenário perfeito para um conto de vampiros.

A Piazza dei Priori é um magnífico exemplo do que eram os espaços públicos medievais. E para adicionar à sua atmosfera misteriosa, existe a Rocca Nuova, uma prisão renascentista que se mantém em uso até hoje.

Volterra
Volterra créditos: Pixabay

Borgo San Lorenzo é um dos centros mais importantes do Vale do Sieve. Fica entre colinas, ciprestes e vilas Medici. Entre as antigas ruas do centro histórico, destaca-se a igreja paroquial de San Lorenzo, do século X (onde podemos ver uma pintura da Madonna atribuída a Giotto) e o Palazzo del Podestà, um palácio do século XIV que exibe os brasões de todas as famílias nobres florentinas que governaram a cidade.

Borgo San Lorenzo possui uma forte tradição de olaria, desde que Galileu e Chino Chini fundaram a fábrica de cerâmica Fornaci San Lorenzo.

Viareggio, outrora uma das estâncias balneares mais glamorosas da Itália, esta vila continua muito popular e mantém uma boa parte da arquitetura Art Nouveau pela qual é conhecida. Situa-se ao norte de Pisa e a oeste de Lucca, no norte da Toscana, na Costa de Versilia.

Montepulciano é uma cidade murada com vistas tão inebriantes quanto o seu "nobre" vinho tinto. Fica situado a cerca de 60 km ao sul de Siena, e tem vista para dois dos mais belos vales da Toscana: o Val di Chiana e o Val d'Orcia. Lugares onde podemos degustar o seu famoso néctar “Vino nobile di Montepulciano”.

O Palazzo Comunale (Câmara Municipal) na Piazza Grande, vale uma visita assim como a Catedral de Santa Maria Assunta e várias igrejas renascentistas.

Montepulciano tem uma pequena estação ferroviária de nome Chiusi a poucos quilómetros da cidade. Autocarros fazem a conexão entre essa estação (que tem ligação direta a Florença) e a cidade de Montepulciano. Da estação rodoviária, podemos caminhar até ao centro histórico ou apanhar outro pequeno autocarro laranja.

O centro está fechado ao trânsito, exceto para moradores portanto, se estiverem de carro, parem num dos estacionamentos que ficam nos arredores da cidade.

Sugestão de itinerário, se realizar a viagem de carro

Com este itinerário circular da Toscana, podem visitar alguns dos lugares mais icónicos da região, e fazer paragens ao vosso ritmo e de acordo com o tempo que tem disponível.

Sugestão de itinerário, se realizar a viagem de carro
créditos: DR
  1. Florença
  2. Lucca
  3. Pisa
  4. Siena
  5. Região do Val d' Orcia
  6. Montepulciano
  7. Arezzo
  8. Regresso a Florença

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

Artigo originalmente publicado no blogue The Travellight World