Essa povoação está classificada como "Aldeia de Portugal" e acolhe assim dois dias de animação com entrada livre, no que o objetivo da Associação de Desenvolvimento Regional das Terras de Santa Maria (ADRITEM) é envolver os habitantes locais na dinamização do seu território e sensibilizar os visitantes para costumes tradicionais da região.

"Este é um evento marcante para o mundo rural, porque as tradições devem ser preservadas e valorizadas", declarou à Lusa Hermínio Loureiro, presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, que integra a ADRITEM.

"Nesse sentido, os nossos parceiros privados e públicos são essenciais para o sucesso da iniciativa, que tem o seu centro de atividade no Parque Molinológico de Ul, mas se alarga também a outros recantos da aldeia, para melhor dar a conhecer o ambiente tradicional que Oliveira de Azeméis ainda hoje preserva a tão pouca distância do centro da cidade", realça o autarca.

O vereador Isidro Figueiredo, que tutela a atividade autárquica relativa ao Movimento Associativo e à Qualidade de Vida, defende, por sua vez, que o evento consegue assim "recriar os ambientes e a genuinidade dos usos e costumes que envolviam as comunidades em torno das suas festas de aldeia".

Para a população local, isso representa "maior visibilidade" e um novo orgulho na sua capacidade de iniciativa; para o público visitantes, o evento constitui "uma ocasião especial para conhecer o quanto de bom se faz nessas comunidades, num espaço frondoso e acolhedor como o que constitui os diferentes núcleos do Parque Molinológico".

O "Há Festa na Aldeia" apostará a divulgação dos principais produtos gastronómicos locais - o pão de Ul e também o arroz descascado no concelho - e ainda no mercado "Cá se fazem, cá se compram", que comercializa apenas artigos com origem nos territórios abrangidos pela ADRITEM.

A par dessa oferta, o programa da iniciativa inclui ainda um passeio nas bicicletas conhecidas como "pasteleiras", caminhadas pelas rotas do moleiro e do crasto, sessões de leitura de contos, exposições de fotografia antiga, performances de malabarismo e teatro ‘clown’, teatro convencional, folclore e jogos tradicionais.

O público poderá ainda testar canoas no rio, participar em atividades radicais e fazer pequenos passeios em cavalo ou charrete, sendo que, para deslocações entre diferentes locais de atividade, também estará disponível um serviço de transfer em trator.

Quanto a música, o cartaz apresenta vários concertos ao longo dos dois dias de festa, por grupos como Las Çarandas, Recanto, Madrepaz, Reynação, Tabatô do Burgo e também o Coro da Aldeia, que atuará com a Banda de Musica de Santiago de Riba Ul.

O programa deste fim de semana será o último de 2016 entre os que a ADRITEM promove nos oito povoados abrangidos pelo projeto "Há Festa na Aldeia".

Visando o desenvolvimento rural dessas localidades, o seu progresso integrado e a promoção do seu património material e imaterial, a iniciativa culmina sempre em dois dias de animação aberta ao público em geral, mas envolve antecipadamente vários encontros e ‘workshops’ com a comunidade das respetivas aldeias.

O objetivo é incentivar melhorias no espaço de usufruto comum e ensinar os habitantes locais a estruturarem ideias de negócio rentáveis com os conhecimentos ou produtos de que já dispõem, aliando assim as necessidades da vivência contemporânea com os valores associados à tradição.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.