Bananas

A produção de bananas da Madeira ronda as 16 mil toneladas por ano e os bananais ocupam 14% da área agrícola da ilha. Cada bananeira só dá um cacho e, depois disso, morre. Do seu tronco nascem, normalmente, uma ou duas outras bananeiras.

Queijo suíço

Os madeirenses costumam dizer que a ilha é um queijo suíço devido aos 150 túneis que cortam as montanhas do território e representam uma grande ajuda nas deslocações. O túnel que liga o Faial a Santana é o maior do país, com 3168 metros.

Laurissilva

A floresta endémica da ilha da Madeira é considerada uma relíquia viva pois remonta há 20 milhões de anos atrás – ao período terciário da Terra, utilizando a escala geológica. O nome deriva do latim laurus (loureiro, lauráceas) e silva (floresta, bosque). O loureiro é uma das espécies mais encontradas nesta floresta considerada Património Mundial Natural da Humanidade pela UNESCO em 1999.

Vinho da Madeira

A celebração da independência dos Estados Unidos, no dia 4 de julho de 1776, foi comemorada com um brinde de vinho da Madeira. O vinho produzido na ilha desde os tempos dos primeiros colonos – as primeiras castas foram introduzidas sob ordens do Infante D. Henrique – é reconhecido em várias partes do mundo, referido em obras literárias de Shakespeare, Tolstoi e Dostoievski.

De Sissi a Churchill

Churchill na Madeira
Churchill na Madeira créditos: Raul Perestrelo/Turismo da Madeira

Ao longo dos tempos, foram muitas as personalidades ilustres que visitaram a ilha da Madeira. A imperatriz Isabel da Baviera – Sissi da Áustria e da Hungria – esteve na ilha durante as suas viagens, chegando a passar lá o inverno de 1860 para fugir do frio austríaco. Winston Churchill, o célebre primeiro-ministro britânico da II Guerra Mundial, passou 12 dias de férias na Madeira, em janeiro de 1950. Durante a estadia, Churchill dedicou-se à pintura em Câmara de Lobos.

Nikita e pé de cabra

A cerveja Coral e o refrigerante Brisa são as bebidas mais famosas da ilha. Mas existem outras misturas “inventadas” pelos madeirenses que não são tão conhecidas pelos turistas. Uma delas é a Nikita, uma bebida que surgiu na década de 1980, e combina cerveja, gelado e pedaços de ananás. O pé de cabra tem como ingredientes o vinho Madeira seco, cerveja preta, chocolate em pó e um ovo.

Expressões típicas

Toda a gente sabe que o sotaque madeirense é único, mas existe um vocabulário específico da ilha. Antes do prato principal, servem-se os dentinhos (entradas); apanha-se o horário (autocarro); come-se semilha (batata) e pimpinela (chuchu); utiliza-se um caralhinho (colher de pau) para mexer a poncha e cultiva-se nos poios (socalcos). Há todo um mundo de palavras e expressões para descobrir numa visita à Madeira.

Cabo Girão

Cabo Girão
Vista do Cabo Girão créditos: Alice Barcellos

O Cabo Girão é o promontório mais alto da Europa, com 589 metros, e é um dos pontos turísticos mais visitados da ilha da Madeira. O nome do cabo foi dado pelos descobridores, uma vez que o grande promontório serviu de ponto de referência como fim do giro no primeiro dia de reconhecimento da costa marítima da Madeira.

Câmara de Lobos

Câmara de Lobos é uma cidade sede de concelho e freguesia, situada na costa sul da ilha. Terra de pescadores, o local recebeu este nome devido ao grande número de lobos-marinhos que habitavam a enseada e as grutas (câmaras) presentes naquela parte da costa da ilha. Hoje em dia, Câmara de Lobos continua conhecida pela pesca do peixe-espada preto. Os lobos-marinhos é que já não são avistados com frequência por ali, estando concentrados na Reserva Natural das Ilhas Desertas.

Madeira

A ilha da Madeira foi descoberta pelos navegadores portugueses Tristão Vaz Teixeira, Bartolomeu Perestrelo e João Gonçalves Zarco em 1419, que apelidaram o território de “Madeira” devido à abundância desta matéria-prima. A ilha estava coberta de floresta e, dizem as histórias, os primeiros colonos tiveram que atear um grande incêndio – que durou sete anos – para conseguir limpar os terrenos. Porto Santo tinha sido descoberto antes, em 1418, pelos mesmos navegadores. A chegada à ilha aconteceu após uma grande tempestade, e os marinheiros encontraram ali um porto seguro – um porto santo.

Veja ainda: Madeira, uma viagem em fotos

O SAPO Viagens viajou a convite da Associação de Promoção da Madeira. Para mais informações, visite o site oficial do Turismo da Madeira.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.