Quando descobri o livro "Pais à Maneira Dinamarquesa" fiquei fascinada. Por momentos, tive a sensação de que alguém me ouviu! Porque a frase “O que sabem as pessoas mais felizes do mundo sobre como educar crianças confiantes e capazes” resume bem o que eu aprendi sobre a educação dinamarquesa, desde que lá fui pela primeira vez.

Alguém, tal como eu, também reparou:

  • Nos bebés deixados dentro dos carrinhos na rua, à porta das lojas (também válido para quando estão graus negativos - fortalece o sistema imunitário, dizem).
  • Nas mães que amamentam um filho, brincam com o outro e ainda dão indicações turísticas a alguém ao lado. Tudo ao mesmo tempo e com a maior naturalidade deste mundo, sentadas num banco de autocarro (aconteceu-me a mim!).
  • Nas crianças que brincam livremente descalças e sujas nos parques ou jardins infantis durante as tardes dos dias de semana com os pais.
  • Nos infantários que mantêm a hora do recreio e as visitas exteriores durante todo o ano (quando está muito frio a única diferença é que têm de vestir mais roupa).
  • Nos pais que vão buscar as suas crianças às creches e escolas primárias nas bicicletas com uma cadeirinha atrás ou uma caixa de madeira à frente, que também serve para levar (em simultâneo) as compras do supermercado e até o cão, se assim for preciso.
  • Nos jovens que vão sozinhos para a escola de bicicleta a partir dos 12 anos.

Eu assisti a tudo isto nas várias vezes em que estive na Dinamarca. E o que mais me surpreendeu por lá foi a descontracção dos pais e a independência dos miúdos. A simplicidade em quase tudo. A sensação de conforto sempre presente. O desprendimento material em famílias com rendimentos tão altos (em relação a Portugal).

Foi então uma boa surpresa encontrar um livro à venda em Portugal com o título “Pais à Maneira Dinamarquesa”. Fiquei logo super curiosa, claro!

Pais a maneira dinamarquesa
créditos: Viajar em Família

E quis confirmar se a minha perspectiva em relação aos pais dinamarqueses coincidia com a das autores desta obra:

  •  Iben Dissing Sandahl é uma psicoterapeuta, terapeuta familiar e mãe dinamarquesa, a exercer há vários anos num consultório nos arredores de Copenhaga.
  • Jessica Joelle Alexander é uma cronista, formadora cultural e mãe norte-americana casada com um dinamarquês a viver na Europa.

Ter a oportunidade de poder aprender com elas é fantástico. Porque elas fazem parte das pessoas mais felizes do mundo, já que vivem ou convivem com o repetente premiado país mais feliz do mundo, que é a Dinamarca.

Quais são então os segredos para educar crianças confiantes e bem integradas? Quais serão as rotinas, os hábitos, prioridades ou principais preocupações destes pais nórdicos?

Foi isso mesmo que fui procurar às páginas do livro "Pais à Maneira Dinamarquesa". E foi precisamente isso que encontrei. Porque esta é uma obra bastante positiva, próxima e muito prática como eu gosto. Faz perguntas. Dá respostas. Para quem não conhece o país, fica a vontade de ir já a correr marcar uma viagem. Para quem conhece, fica a confirmação do quotidiano escandinavo.

O livro está dividido em sete capítulos, com mais uns extras. Onde se incluem:

  • Conselhos para incentivar jogos e brincadeiras livres, tão importantes mas talvez demasiado esquecidos (na correria de alguns fins de tarde em Portugal)
  • Dicas que ajudam a reforçar a confiança, a valorização pessoal, a empatia, a honestidade e o trabalho em equipa entre as crianças
  • Inspiração para celebrar a união e desencorajar a competição ou lutas de poder, cultivando o respeito e a tolerância

Devorei quase todos os tópicos, mas se tivesse de eleger o meu preferido seria o número 7 – Tempo Juntos e Hygge (algo muito cultural, uma forma de estar, traduzido por aconchego).

Porque apesar da liberdade e responsabilidades individuais, é muito bom escolher passar bons momentos com quem mais gostamos e nos faz bem. Saber apreciar o mais simples, o verdadeiramente importante.


"Pais à Maneira Dinamarquesa"
Autores: Jessica Joelle Alexander e Iben Dissing Sandahl
Editora: Arena
1ª Edição: Setembro 2016
Preço: 15,50 euros

Por Joana Batista, do Viajar em Família

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.