Desde que a Sydney viaja connosco que temos melhorado a nossa dinâmica e atualmente as coisas já fluem naturalmente. E acreditem, a Sydney não é a mais “fácil” das cadelas.. é extremamente ansiosa e vive com medo de ficar esquecida sozinha algures!

Para começar, viajar com um animal vem com responsabilidade acrescida. Sabemos à partida que há vários locais onde eles não vão poder entrar, nomeadamente restaurantes e zonas comuns dos hotéis e temos de estar preparados para isso. Por outro lado, temos sempre de nos assegurar que não vão perturbar o espaço ou o descanso dos outros hóspedes (isto já para não falar de ser necessário um mínimo de educação, nomeadamente na “escolha” de locais para as necessidades). Outra questão essencial é a documentação a comprovar que o nosso amigo de 4 patas tem as vacinas todas em dia. Esta pode ser exigida no momento do check-in e, não se esqueçam, é obrigatório passaporte do animal se tencionarem sair do país, por isso, se for o caso, falem antes com o vosso veterinário.

Agora, coisas práticas! Quando reservamos um hotel, verificamos sempre se aceita animais domésticos e contactamos diretamente a propriedade para avisar que levamos uma cadelinha, qual o seu porte e questionamos sobre valor extra por noite. É normal haver alguma taxa, até porque claro que o quarto vai ficar mais sujo, mas já nos pediram valores absurdos que nos fizeram alterar a reserva, por isso mais vale perguntar antes!

A Sydney
"Esta é a Sydney... nunca fez uma asneira", garantem os Wat (e nós acreditamos).

A viagem em si também tem de ser preparada! Aconselho vivamente um protector de estofos que podem adquirir facilmente em lojas de animais ou supermercados e um cinto de segurança para animais (caso não viajem numa transportadora) que é basicamente uma fivela que conectamos com a base do cinto de segurança do carro e o impede de circular pelo veiculo ou ser projetado em caso de embate.

Indispensável é também viajarmos com água e alguma comida para podermos dar sempre que paramos (e claro, fazer umas pausas no máximo a cada 2:30h para “esticar” as patas) e umas guloseimas para os animar. No nosso caso, já temos uma mochila da Sydney onde colocamos tudo o que pode ser necessário: documentos, um saco com ração, um saco com guloseimas, uma garrafa de agua, 2 taças, 2 brinquedos (no nosso caso, uma bolinha é obrigatória!), uma mantinha, trela, coleira e alguns resguardos para SOS.

As primeiras saídas podem ser algo caóticas, principalmente com cães mais jovens e energéticos, mas eles rapidamente aprendem a comportar-se em ambientes diferentes e passam a ser imprescindíveis nas nossas aventuras!

Na nossa próxima roadtrip pela Europa, a Sydney vai acompanhar-nos, por isso se quiseres mais dicas ou locais “pet friendly” onde vamos parar, fica atento ao nosso instagram @wat.to.sydney.

A Carolina e o Pedro são médicos especializados em Medicina de Aviação e Medicina de viagem. Juntos já visitaram mais de 60 países e agora partem para novas aventuras com a bebé Wat e a peluda de 4 patas, Sydney. Podem acompanhar as suas viagens no instagram @wat.to.sydney

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.