Com algumas dicas e um pouco de tecnologia, não há razão para se preocupar em passar fome ou não conseguir comer bem.

1- Escolha os destinos certos

Alguns destinos são mais veganos e vegetarianos do que outros. A maioria das grandes cidades dos Estados Unidos e da Ásia, especialmente a Índia, tem muitas opções de restaurantes para as duas dietas. A Índia, por exemplo, tem milhares de restaurantes apenas para vegetarianos. É uma cultura que entende o que essas dietas significam. Israel é outra boa aposta, assim como a Itália - Turim, por exemplo, tem uma abundância de restaurantes vegetarianos.

Outros lugares, pelo contrário, servem tradicionalmente carne. Num país como a Argentina, por exemplo, comer carne bovina faz parte da cultura e a maior parte da culinária deste país está orientada para este consumo. Embora hoje em dia, já se encontrem naturalmente outras opções, nunca vão ser em tão grande número como em países onde as dietas vegan e vegetarianas estão mais enraizadas.

2- Reserve os hotéis, excursões e cruzeiros certos

Em geral, as marcas de hotéis com foco no bem-estar, como por exemplo a Six Senses, tendem a adaptar-se e a conhecer bem as dietas veganas e vegetarianas.

Alguns cruzeiros também podem personalizar com antecedência menus vegan e vegetarianos. Crystal Cruises, Regent Seven Seas, Uniworld River Cruises e Viking River Cruises são alguns exemplos.

As excursões em grupo podem ser mais complicadas: a menos que ofereçam um itinerário específico voltado para veganos e vegetarianos, o que é muito raro, muitos não têm estas dietas em conta, especialmente quando as refeições estão incluídas. Por isso, antes de comprar uma excursão assegure-se de que essa opção é oferecida ou então opte por passeios que não incluam a alimentação no preço.

3- Confie na tecnologia

A aplicação Happy Cow é um serviço extremamente útil para encontrar restaurantes vegetarianos e veganos em todo o mundo, tanto em destinos urbanos como em destinos mais remotos. Basta pesquisar e a aplicação mostra os restaurantes mais próximos da nossa localização. A aplicação é gratuita e está disponível para iPhone e Android.

4- Aprenda termos locais

Embora vegetariano e vegano signifiquem coisas diferentes em português ou em inglês, eles nem sempre são traduzidos corretamente em outros idiomas. Antes de viajar o melhor é aprender termos equivalentes no idioma do local que vai visitar, que sejam absolutamente claros para as suas restrições alimentares.

Em vez de dizer apenas que você é vegano ou vegetariano, aprenda a dizer "sem ovos, sem leite, sem carne, sem peixe e sem frango". Além disso, não se esqueça de perguntar sobre os ingredientes. Caldo de galinha, ovos e manteiga, por exemplo, são ingredientes que muitas vezes fazem parte de um prato mas não vêm claramente listados num cardápio.

5- Prepare a sua viagem

Viaje sempre com um stock de snacks, como frutas secas, nozes, bolachas, barras de cereais vegan, etc. Podem ajudar a mantê-lo saciado quando as suas opções forem limitadas ou inexistentes

Aeroportos e pequenas cidades tendem a ser os locais mais complicados e limitados, por isso é bom estar preparado. Todos sabemos que estar com fome pode arruinar uma viagem.

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

Artigo originalmente publicado no blogue The Travellight World

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.