Albi foi construída em volta de uma incrível catedral que até hoje permanece a sua principal atração, mas esconde outros tesouros como o museu dedicado a Toulouse-Leutréc, instalado no Palácio dos Bispos, um dos palácios mais antigos e mais bem preservados da França.

No século XIII, após a cruzada albigensiana contra os cátaros, Albi transformou-se numa poderosa cidade episcopal e a Catedral de Santa Cecília no seu principal símbolo. Ainda que de longe, é a primeira coisa que vemos quando chegamos à cidade e todos os caminhos parecem conduzir a ela.

Albi pode estar mergulhada na história, mas não está parada no tempo. Edifícios modernos como o Grand Théâtre des Cordeliers provam isso, mas é no Centro Histórico que reside todo o seu charme. O centro está dividido em seis bairros distintos, cada um com uma personalidade diferente.

Castelnau, por exemplo, é onde residiam os cidadãos medievais mais ricos de Albi como a família de Henri de Toulouse-Lautrec. Saint-Salvi, por outro lado, era um bairro de comércio, com nomes de ruas como Payrolaria (rua dos Ferreiros) por causa das oficinas que costumavam estar aqui.

Albi
As fachadas de tijolo do centro histórico de Albi. créditos: Ana Barreto

Ao contrário do que é habitual ver em antigas cidades medievais, em Albi há pouca ou nenhuma pedra usada na construção dos edifícios. Tudo é tijolo. Às vezes, tijolos vermelhos misturados com vigas de madeira que decoram as fachadas e servem de suporte estrutural. Isto dá um aspeto único e pitoresco às casas que ladeiam as estreitas ruas da velha cidade e nos conduzem à enorme praça que abriga a monumental Catedral.

Todos os caminhos vão dar a ela: Catedral de Santa Cecília

De estilo gótico, construída tal como as casas mais simples, com tijolos de tons vermelho e laranja, este impressionante edifício domina a cidade e deixa claro o poder que em tempos o clero romano teve na região. A fachada simples e austera contrasta com uma entrada finamente trabalhada, mas é o seu extraordinário interior que deixa qualquer mortal de queixo caído.

Catedral de Santa Cecília
A Catedral de Santa Cecília foi construída entre 1282 e 1480. créditos: Ana Barreto

São cerca de 18.500 metros quadrados de murais que ilustram histórias da Bíblia e decoram cada milímetro das paredes e tetos. Há arcadas e pilares trabalhados, grandes candelabros e muitas imagens de santos. Há também o grande órgão da Catedral de Saint Cecile que data do século XVIII e é considerado um dos mais bonitos da França.

O interior da Catedral de Santa Cecília
O interior da Catedral de Santa Cecília créditos: Ana Barreto

Um dos palácios mais antigos de França

Ao lado da Catedral, alojado dentro do Palácio dos Bispos, fica a outra grande atração de Albi — o Museu Toulouse-Lautrec.

O museu apresenta e preserva, tal como o nome indica, as obras de Henri de Toulouse-Lautrec, o célebre pintor impressionista que nasceu precisamente nesta bela cidade.

Toulouse-Lautrec é provavelmente mais famoso pelos seus cartazes do Moulin Rouge, mas eles são apenas uma pequena parte dos trabalhos em exibição. Desenhos e pinturas inspirados na vida familiar do artista, incluindo as suas primeiras e últimas obras, podem igualmente aqui ser admirados.

Mas mesmo quem não é entusiasta da pintura não perde nada em visitar o Palácio dos Bispos (ou Palácio Berbie, como também é conhecido) um dos palácios mais antigos da França e um dos mais bonitos. Os jardins, de entrada gratuita, são deslumbrantes!

Palácio dos Bispos
O Palácio dos Bispos acolhe atualmente o Museu Toulouse-Lautrec. créditos: Ana Barreto

O Palácio foi construído durante o século XIII num local com vista para o Tarn e a sua arquitetura militar recorda-nos novamente o poderio da Igreja nesta região. No interior destacam-se as salas medievais abobadadas, os tetos pintados, a galeria renascentista, os grandes salões e, claro, os maravilhosos jardins franceses que lembram os do Louvre (mas em escala reduzida), com vistas panorâmicas sobre o rio, a ponte medieval e a colina em frente onde se avista a igreja de Notre Dame de la Drêche.

Palácio dos Bispos
Os jardins do Palácio dos Bispos créditos: Ana Barreto

Também vale a pena espreitar

No antigo Convento da Anunciação, a curta distância da Catedral, está instalado outro Museu que merece atenção - O Museu da Moda.
Tem em exposição milhares de vestidos e acessórios que vão desde os anos 1700 até aos anos 1970.

A Ponte Velha que rapidamente alcançamos descendo a rua que sai da praça da Catedral em direcção ao rio, é uma das estruturas mais fotografadas de Albi e também um dos melhores sítios para conseguir uma fotografia tipo cartão postal das duas margens. Assenta em oito arcos, é feita de pedra coberta com tijolo e data de 1040 d.C.

Ponte velha de Albi
O cenário a partir da ponte velha de Albi, sobre o rio Tarn. créditos: Ana Barreto

Outro edifício de paragem obrigatória é a Igreja La Collégiale Saint-Salvi. Data do século VI e é um dos edifícios mais antigos da cidade. Foi quase destruída durante a Revolução Francesa em 1776 e, como tal, da estrutura original apenas a torre sul do claustro permanece. Apesar disso, os estilos românticos e góticos que foram acrescentados posteriormente parecem misturar-se na perfeição. É um lugar bonito e sereno, bom para descansar, mesmo que por apenas alguns minutos.

Outro local bom para parar é o Parc Rochegude, um jardim bem cuidado a 15 minutos a pé da Catedral com pequenas lagoas, uma ilha de pássaros e mais de 85 espécies diferentes de árvores.

Localizado não muito longe do Museu Toulouse-Lautrec, na Rue Emile Grand, fica o Mercado de Albi, a paragem perfeita para comprar produtos frescos e deliciosos para um belo piquenique junto ao rio ou no Parc Rochegude. Há pão quente, uma infinita seleção de queijos franceses curados, frutas e legumes frescos.

É a forma perfeita de terminar uma visita à bonita cidade de Albi!

Como chegar

Os dois aeroportos mais próximos de Albi são o de Toulouse e o de Carcassone. A Ryanair voa de Lisboa e Porto para Toulouse e do Porto para Carcassone. A partir destas duas cidades, se não quiserem alugar um automóvel, basta apanharem o comboio e em menos de 2 horas estão em Albi. O bilhete ida e volta, se comprado com antecedência na SNCF custa 28,80€ por pessoa.

Onde ficar

Há uma boa variedade de acomodações para todos os orçamentos, alguns até por 58 € por noite como o Hotel Le Rochegude, mas um dos melhores hotéis de Albi é o Hotel Alchimy (153 € por noite).

Vejam mais

Espreitem o destaque "Albi" na minha página de Instagram para ver um pouco mais desta bonita cidade francesa e sigam as stories nesta rede social, para inspiração e ideias para passeios, férias e fins de semana.

Artigo originalmente publicado no blogue The Travellight World 

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.