Apesar de alguns dos pontos turísticos da ilha estarem localizados perto de Anacapri - a Gruta Azul, a Villa San Michele e o teleférico para o Monte Solaro, por exemplo - isso não atrapalha muito o sossego desta cidade.

A vida aqui permaneceu autêntica, apesar do turismo da ilha. É claro que não faltam hotéis e restaurantes, mas um passeio pelo centro de Anacapri leva-nos também a descobrir uma concentração de cores, aromas e sons mediterrâneos. Há pequenas lojas de cerâmica local, alfaiatarias e sapateiros artesanais.

O ar é perfumado pelos limoeiros, que fornecem a matéria-prima para o famoso limoncelo, e nos bancos de jardim, decorados com bonitos azulejos, encontramos idosas sentadas a fazer tricô que trocam entre si as últimas novidades da terra.

Longe das multidões, perto do genuíno: Anacapri, o outro lado de Capri
créditos: The Travellight World

Um dos lugares mais bonitos desta pequena localidade é a Igreja de São Miguel (Chiesa Monumentale di San Michele) com o seu espantoso chão: um painel em azulejo, pintado à mão, que representa a expulsão de Adão e Eva do paraíso.

Dedicada a São Miguel, esta igreja foi construída de 1698 a 1719 e foi fundada por uma freira de Capri chamada Madre Serafina di Dio. Hoje, a igreja é o lar da Congregação da Imaculada Conceição, que cuida da sua preservação e manutenção. A fachada da igreja é tão simples que nada nos prepara para o tesouro arquitectónico que encontramos lá dento.

O seu piso em azulejo maravilhosamente preservado data de 1761 e foi criado por Leonardo Chiaiese, um dos melhores artistas de cerâmica do século XVIII.

Se subirmos a escada em espiral que leva até ao órgão da igreja conseguimos ver o painel de azulejos e o altar-mor em todo o seu esplendor.

Longe das multidões, perto do genuíno: Anacapri, o outro lado de Capri
créditos: The Travellight World

A Casa Rossa (Casa Vermelha), um edifício no centro histórico de Anacapri, chama-nos a atenção pela diferença.

Esta casa foi do coronel americano John Cay H. Mackowen, que veio para Itália após a guerra civil americana e estabeleceu-se em Anacapri. A casa é uma mistura de diversos estilos arquitectónicos e tem uma exibição permanente chamada L'isola dipinta que apresenta imagens de Capri com suas tradições e hábitos quotidianos entre o século XIX e XX.

Longe das multidões, perto do genuíno: Anacapri, o outro lado de Capri
créditos: The Travellight World

No centro histórico encontramos várias igrejas com fachadas simples mas com detalhes muito interessantes no seu interior.

Outro lugar a não perder em Anacapri é a Villa de San Michele. Construída sobre ruínas de antigos palácios romanos, fica numa saliência no topo da Escada Fenícia, 327 metros acima do nível do mar.

Axel Munthe, um médico nascido na Suécia, construiu San Michele na viragem do século XX. Artefactos romanos combinados com móveis do século XVIII decoram o interior. O elegante jardim exterior está decorado com ciprestes, flores exóticas e esculturas antigas. É um lugar tranquilo, cheio de luz e um belo passeio para quem visita Anacapri.

Longe das multidões, perto do genuíno: Anacapri, o outro lado de Capri
créditos: The Travellight World

Como chegar a Anacapri

Anacapri fica a 3 km de distância de Capri. A melhor maneira de lá chegar é apanhando um pequeno autocarro que faz a ligação entre as duas cidades. O transporte sai do centro de Capri a cada 15 minutos e leva cerca de 10 minutos a chegar a Anacapri.

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

Artigo originalmente publicado no blogue The Travellight World 

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.