Apesar de estar um pouco longe da ilha que era quando Sophia Loren e Clark Gable filmaram “It Started in Naples”, ainda consegue manter o encanto que, no passado, seduziu personalidades como Grace Kelly, Audrey Hepburn e Jackie Onassis a passarem férias aqui e explica o interesse que ainda hoje desperta no jet-set internacional.

Famosa desde a antiguidade, Capri era conhecida pelos gregos como o lugar onde Ulisses resistiu às tentações das sereias, criaturas míticas que atraíam, com as suas encantadoras vozes, os marinheiros para a morte.

Os imperadores romanos, Augusto e Tibério, também caíram de amores por esta ilha e Tibério chegou mesmo a mandar construir 12 casas  em Capri, cujas ruínas podem ser visitadas até hoje.

De volta ao glamour dos anos 50 e 60 através da ilha de Capri
créditos: Travellight, H. Borges e R.J. River

Fica localizada na Baía de Nápoles, em Itália, e impressiona-nos mesmo antes de chegarmos. Os seus picos majestosos, a movimentada marina e as suas casas coloridas contrastam com um dos mares mais bonitos que já vi. Tudo brilha!

Capri tem uma beleza cativante que nos enfeitiça desde o primeiro momento.

Milhares de pessoas vêm a passeio, visitar Capri todos os dias, a partir de Nápoles, Positano ou Sorrento, principalmente no verão. Por isso, para descobrir a ilha com calma e apreciar realmente a sua beleza sem ter duzentas pessoas a taparem-te as vistas, o ideal é passar lá pelo menos uma noite. O ambiente fica definitivamente mais calmo e relaxado depois destes turistas diários partirem.

Se puderem reservar um passeio privado num dos barcos típicos em madeira para dar a volta à ilha, melhor ainda!

Capri
créditos: Travellight, H. Borges e R.J. River

Os barcos partem sempre da Marina Grande e levam-nos a conhecer algumas das maiores atrações da ilha como as suas belas grutas, as icónicas formações rochosas conhecidas como Faraglioni (lembram-se do anúncio Dolce & Gabbana Light Blue? Foi gravado lá) ou o farol de Punta Carena que vigia a costa sudoeste da ilha desde 1866 e é considerado o melhor lugar para assistir ao pôr-do-sol em Capri.

Além da famosa Gruta Azul, Capri tem uma Gruta Branca e uma Verde, onde a luz do sol, passando por cavidades subaquáticas, brilha através da água do mar, criando belos reflexos.

Capri

A partir da Marina Grande, o principal porto de Capri, podemos apanhar um funicular que nos leva diretamente ao centro da cidade de Capri.

O centro de Capri é compacto e movimentado. Encontramos a Piazza Umberto I (mais conhecida por La Piazzeta), aninhada sob a torre do relógio. Esta praça central é pequena, animada e provavelmente o local mais famoso da cidade. No passado, era o local do mercado de peixe, mas desde então ganhou prestígio e agora é o centro da vida social de Capri. É o lugar perfeito para almoçar, comer um belo gelato italiano apreciar arte ou fazer compras.

Capri
créditos: Travellight, H. Borges e R.J. River

Quem não quiser andar a pé pode apanhar os pequenos autocarros cor de laranja que percorrem toda a cidade e nos levam até outras zonas da ilha como Anacapri ou então apanhar um típico Capri-Cabrio (táxi conversível com um toldo que só encontramos nesta ilha).

Há ainda um teleférico que sai da Piazza Vittoria e atinge o cume do Monte Solaro (o ponto mais alto de Capri) em menos de 12 minutos. A vista do Monte Solaro é simplesmente deslumbrante!

Apesar do seu tamanho diminuto, Capri possui muito para ver e fazer, incluindo doze igrejas, sete museus e vários monumentos, bem como as suas praias e as já referidas maravilhas naturais.

Se marcarem com antecedência, uma viagem de Lisboa para Nápoles ida e volta na Ryanair fica por cerca de 105 euros ou mais barato e o barco de Nápoles até Capri (ida e volta) fica por 45 euros.

Para ser em conta, o alojamento também deve ser marcado com muita antecedência porque esgota rapidamente e em cima da hora os preços são proibitivos.

Dica: Podem comprar o bilhete de barco entre Nápoles e Capri on-line no site da SNAV mas depois têm de fazer o check-in na bilheteira que fica no porto de Nápoles antes de embarcarem. Atenção que a bilheteira da SNAV é a que fica mesmo ao pé do porto onde estão as bilheteiras de todas as outras companhias que ali operam. Há umas placas que indicam uma bilheteira, na direcção contrária, bem mais longe daquela onde devem fazer o check-in, que podem induzir as pessoas em erro.

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

Artigo originalmente publicado no blogue The Travellight World

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.