Desta vez, aventurei-me pelo lado oeste do lago. Existe uma rota de bicicleta por estes lados e ainda se vêm alguns turistas por aqui. Por alguns entenda-se uns 5 turistas. Deste lado do rio existem umas nascentes termais e alguns templos para visitar, mas não muita coisa. O ponto mais distante é o Tofu Palace, a cerca de 12 km de distância da cidade Nyaung Shwe, que vale a pena visitar. Não sabia bem o que era este sítio e quando lá cheguei já era tarde de mais para fazer a tour.

O Tofu Palace trata-se de um sítio numa aldeia que funciona por doações dos turistas. Não há preços fixos e esse dinheiro reverte para a comunidade, para melhorar as condições da aldeia. Tenho pena de não ter feito a tour pois só ouvi coisas boas sobre ela. É uma excursão pela aldeia onde vemos as pessoas a fazerem a comida típica, mais à base de tofu, e onde podemos provar o que estão a fazer. Consegue-se ver uma variedade de produtos diferentes e os guias são pessoas extremamente afáveis, sempre com um sorriso na cara.

Lago Inle
créditos: While You Stay Home

Da experiência falo pelos relatos dos outros, mas sobre os guias eu conheci-os, portanto falo por experiência própria. Como não tinha tempo de fazer a tour e voltar para a cidade antes do pôr do sol, estive no Tofu Palace a apreciar vários snacks que eles providenciam em troca de uma doação. Enquanto isso estive à conversa com um dos guias que me disse várias coisas sobre o seu país. No Myanmar todos os homens têm de ser monges pelo menos uma vez. O tempo mínimo é uma semana, e foi o tempo que ele esteve no monastério, não por opção, mas porque tinha vários irmãos mais pequenos e a sua mãe estava mal, portanto tinha de tomar conta deles, já que fazia parte de uma família muito pobre. Entre vários outros assuntos, tivemos uma conversa muito agradável e divertida. Que senhor tão simpático!

A estrada para lá chegar atravessa vários canais que ligam a cidade ao Lago Inle e esta também é uma parte muito gira de visitar. Ao pedalar por estes caminhos tem-se mais contacto com os aldeões, que é das melhores experiências que se pode ter no Myanmar: estar entre estas pessoas genuínas que nos acolhem com grandes sorrisos e se mostram muito contentes quando cumprimentadas por forasteiros.

Lago Inle
créditos: While You Stay Home

Pedalar por estas ruas e ter este contacto é das coisas que mais me encantam no Myanmar. Podemos ver como é realmente a vida deles, sem artifícios preparados para os turistas.

A vida no Myanmar é assim, como vemos naturalmente ao circular por estes trajetos menos populares. Portanto, pedalar com a bicicleta Ympek por estes trilhos à volta do lago foi, sem dúvida, uma ideia fantástica. Daí os passeios de bicicleta que fiz da primeira vez terem sido das coisas que mais gostei de fazer. É circular por onde me apetece, sem um destino fixo e aproveitar o que o Myanmar tem de melhor: as pessoas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.