Sim, não só é possível como a Devil's Pool
 
é um dos atrativos dos aventureiros que vão a Victoria Falls, do lado da Zâmbia.

Piscina do Diabo
Vista das cataratas e com o grupo a saltar para o Diabo Who Trips

O salto para a Piscina do Diabo só é possível nos meses secos – final de Outubro a Dezembro.

Encontrei um professor universitário norte-americano que se despediu da mulher com a fotografia da Devil's Pool. Disse-lhe que pretendia ir às cataratas e saltar para a piscina natural. Era este o objetivo central da viagem. A mulher ficou incrédula e ele, após a experiência, apressou-se a ligar-lhe e tirá-la de cuidados...

Piscina do Diabo
Capturar o abismo créditos: Who Trips

A Devil's Pool fica do lado da Zâmbia e para se ir até lá percorre-se a pé uma área de basalto, com uma vista tão sensacional como arrepiante para a falésia.

Piscina do Diabo
A caminho da Devils Pool créditos: Who Trips

Em algumas partes do caminho há riachos e piscinas naturais onde miúdos costumam brincar.
Um pouco mais longe vê-se uma lagoa onde um casal de elefantes se tinha ido refrescar.

Piscina do Diabo
Zâmbia créditos: Who Trips

Pouco depois, já rio adentro, é preciso nadar e ter algum cuidado para evitar as rochas.
Uma corda ajuda a fazer o percurso.

Victoria Falls
Grupo recebe instruções antes do salto para a piscina créditos: Who Trips

Na época seca, com um nível mais baixo, a água do Zambeze é calma. Noutra altura seria um suicídio fazer isto.
Havia uma ligeira corrente, dava alguma acalmia, mas a noção do risco está sempre presente com o som ensurdecedor da cascata.

Piscina do Diabo
Guia mergulha para o Zambeze, ao lado das cataratas créditos: Who Trips

Há guias que fazem este percurso ao lado dos aventureiros, posam e tiram fotografias, até mesmo à beira da falésia.
Um deles saltou para a Piscina do Diabo com um mortal.

A piscina do diabo não é grande, dá para meia dúzia de pessoas e foi criada com o processo erosivo da água.
Devido a um efeito natural, o basalto da piscina trava a força da corrente e não se sente a pressão a empurrar para o abismo, mesmo ali ao lado.

Piscina do Diabo

Quem está do outro lado da falésia, no Zimbabwe, tem uma visão mais dramática.
Olha para as pessoas a sorrir e a esbracejar na piscina, à beira da queda de água e depois baixa os olhos ao longo de 108 metros e apercebe-se do insólito paradoxo: divertidos mesmo próximos do abismo...

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.