Reorganização da dinâmica das visitas e formação interna são algumas das medidas que vão ser implementadas para preparar a reabertura destes espaços, que estão entre as três caves mais procuradas pelos turistas.

Para além da certicação do cumprimento de todas as recomendações da Direção-Geral de Saúde para evitar a contaminação dos espaços com o novo coronavírus que este selo vem reconhecer publicamente, a Sogevinus está já a reorganizar a dinâmica de visitas nos vários espaços, pensando em todos os detalhes que permitam assegurar a proteção e o bem-estar dos turistas e dos colaboradores da empresa.

“Fazer com que as pessoas que nos visitam se sintam seguras é a nossa prioridade e estamos a rever e reforçar todas as medidas nesse sentido”, afirma Maria Manuel Ramos, diretora de turismo da Sogevinus.

“O grande desafio, neste momento, passa por conseguirmos oferecer uma visita segura e, ao mesmo tempo, preservar o serviço e a hospitalidade, na medida em que estes são elementos essenciais que transformam as visitas aos nossos espaços em experiências diferenciadoras junto de quem vem à procura de descobrir mais sobre o universo do vinho do Porto”, explica.

As caves Cálem e Burmester estão entre as três caves mais procuradas pelos turistas. Só a Cálem, que mantém a liderança enquanto cave de vinho do Porto mais visitada, registou, no ano passado, a presença de 300 mil visitantes. Portugueses, franceses e espanhóis foram os que mais visitaram os espaços do grupo Sogevinus em 2019.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.