Valência está a dar grandes passos para combater as alterações climáticas e tornar-se um destino que os viajantes possam visitar com a consciência limpa. A cidade tornou-se a primeira do mundo a medir as emissões de carbono da atividade turística, o primeiro passo no compromisso de se tornar um destino neutro em carbono até 2025.

A Fundação Visit Valencia, entidade responsável pela promoção turística da cidade a nível internacional, realizou um estudo que analisou as fontes de emissões de carbono relacionadas com a atividade turística em dez áreas, incluindo a gestão de água, resíduos, transporte para e ao redor da cidade e alojamento. A pesquisa descobriu que o turismo foi responsável pela emissão de 1,3 milhão de toneladas de dióxido de carbono em 2019 e que 81% das emissões turísticas vieram do transporte para a cidade. O transporte dentro da cidade somou menos de 1%. O estudo também constatou que a quantidade de gases de efeito estufa emitida pela atividade turística equivale a cerca de um terço da pegada de carbono gerada pelo consumo alimentar dos moradores da cidade. Os resultados do relatório foram certificados pela Associação Espanhola de Normalização e Certificação (AENOR).

Valência pretende tornar-se o principal destino turístico do mundo com impacto ambiental zero e, para isso, pretende tornar o sistema de transporte público totalmente elétrico e adicionar mais plantas aos parques da cidade para absorver o dióxido de carbono. A cidade já possui dois milhões de metros quadrados de jardins, com destaque para os Jardins de Turia e Viveros, que funcionam como o pulmão verde da cidade, absorvendo as emissões de carbono.Os viajantes também podem explorar a cidade de forma ecologicamente correta, utilizando os cerca de 150 quilómetros de ciclovias e 40 ciclocalles (ruas prioritárias para bicicletas).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.