Nos primeiros cinco meses do ano, o realce vai igualmente para os mesmos mercados (20,5% e 12,6%, respetivamente) e ainda para o canadiano (12,7%), sinaliza.

Os quinze principais mercados emissores representaram 87,3% das dormidas de não residentes.

O mercado britânico (com 22,7% do total das dormidas de não residentes) recuou 9,0% em maio, tendo nos primeiros cinco meses do ano apresentado uma diminuição de 7,4%.

As dormidas de hóspedes alemães (14,1% do total) aumentaram 4,8% em maio, embora desde o início do ano este mercado revele um ligeiro decréscimo de 0,5%.

O mercado francês (11,9% do total) cresceu 1,1% em maio. Entre janeiro e maio, este mercado apresentou um aumento de 2,4%.

As dormidas de hóspedes residentes em Espanha (6% do total) registaram um acréscimo de 5,7% em maio e um ligeiro decréscimo desde o início do ano (0,3%).

De acordo com os dados hoje divulgados pelo INE, a hotelaria registou 2,0 milhões de hóspedes e 5,4 milhões de dormidas em maio, correspondendo a subidas de 3,5% e 1,1%, contra descidas de 5,2% e 8,3% em abril, respetivamente, divulgou hoje o INE.

As dormidas de residentes cresceram 5,4% enquanto as dos não residentes apresentaram uma ligeira diminuição de 0,2% (-10,6% e -7,5% em abril, respetivamente, mês que tinha sido afetado pelo efeito de calendário da Páscoa), de acordo com os dados sobre a atividade turística produzidos pelo INE.

A estada média (2,67 noites) reduziu-se 2,4% (-1,5% no caso dos residentes e -2,0% nos não residentes) e a taxa líquida de ocupação-cama (54,7%) recuou 0,4 pontos percentuais.

Fonte: Lusa

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.