Em conferência de imprensa, a vice-presidente da câmara, Ana Umbelino, explicou que, nesta quinta edição, o festival estende-se às várias freguesias do concelho, “numa lógica de descentralização e de levar a cultura a todo o território”, assim como a espaços não culturais, como o mercado municipal ou a Igreja de Santiago, “para chegar a todos os públicos”.

Com mais de uma centena de atividades, o programa conta com encontros com escritores, sessões de conto, colóquios, tertúlias, formações, performances teatrais, exposições de ilustração e de livros de cordel, visitas guiadas, oficinas infantojuvenis, lançamentos de livros, feira de livros, nos quais participam cerca de 40 convidados, alguns dos quais oriundos do Brasil, Espanha e Bielorrússia.

No ano do centenário de José Saramago, o festival integra a exposição “Voltar aos passos que foram dados”, entre 22 e 30 de abril, e exibe o filme “O ano da morte de Ricardo Reis”, de João Botelho.

O programa, que se prolonga até 22 de maio, é organizado pela Câmara Municipal de Torres Vedras em parceria com várias organizações culturais deste concelho do distrito de Lisboa.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.