O Clube da Arrábida apelou para que "salvem o Portinho da Arrábida", numa carta aberta, dirigida ao ministro do Ambiente, à presidente da Câmara de Setúbal, à Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e ao Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).  Isto porque, ao longo dos anos, o desassoreamento tem vindo a agravar-se a cada temporal e a praia está transformada num "mar de calhaus".

"Abateu agora, igualmente, uma secção da arriba junto à praia, que poderá potenciar o avanço do mar sobre a duna primária do Creiro.  À situação descrita, junta-se a redução acentuada de área da praia de ano para ano", pode ler-se na carta escrita pelo Clube da Arrábida. Com a praia com cada vez menos areia, as concessões de praia têm de escavar o que resta da duna primária para colocar os chapéus de sol, por falta de areia na frente do mar.

"Para quem toda a vida conheceu o Portinho da Arrábida, o aspeto atual da praia é desolador, como aliás já é há uns anos", lamenta Pedro Soares Vieira, Presidente do Clube da Arrábida, em declarações ao SAPO Viagens. "Em 2017 o LNEG fez, a pedido do Clube da Arrábida, um parecer sobre o estado do Portinho da Arrábida, nessa altura estimou que já se tinha perdido 60% do volume de praia, assim como 63% do seu comprimento. Isto é uma barbaridade", acrescenta.

Segundo Pedro Soares Vieira, os 37% que sobram da praia estão agora cobertos por "um mar de calhaus". "Com o brutal desassoreamento que tem vindo a acontecer, as arribas argilosas da praia ficaram sem protecção e a força do mar começou a desfazer essas arribas colocando-as em perigo de desabamento, assim como em perigo de destruição algumas das casas no próprio Portinho da Arrábida", sublinha.  A resposta por parte da APA e da Câmara Municipal de Setúbal foi fazer um enrocamento que, segundo o Presidente do Clube da Arrábida, serve para uma situação de urgência, mas não é uma solução permanente, pois "ao não absorver a força do mar como absorve um areal, transmite essa força para o que resta do areal causando um efeito de rapagem da areia que ainda sobra na praia".

"Onde em tempos havia praia hoje há montes de pedra, oriundos dos enrocamentos que, por sua vez, já desmoronaram"

O Clube da Arrábida teve a iniciativa de, em 2010, "ir ter com o ICNF, APA e Câmara Municipal de Setúbal e alertado para o então já acentuado desassoreamento e dado o grito de alerta", no entanto, passados 10 anos nada foi feito.

"O nosso receio, é que se tivermos pela frente um inverno rigoroso, tenha de haver, novamente, intervenções de urgência, o que seguramente significará mais pedra, sendo então a estocada de morte no Portinho da Arrábida", explica Pedro Soares Vieira.

"Não podemos esperar mais tempo, correndo o sério risco de ver desaparecer o Portinho da Arrábida nos próximos anos"

O Clube da Arrábida é uma associação de proprietários, comerciantes e utentes da zona do Portinho da Arrábida que tem como principal objectivo a salvaguarda desta área em pleno Parque Natural da Arrábida.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.