A pandemia alterou por completo a vida profissional de muitas pessoas que, subitamente, se viram sem emprego e tiveram de procurar novas oportunidades noutras áreas. Roman Savin é um piloto de aviões, russo de 23 anos, a morar atualmente na Lituânia e, assim como muitas outras pessoas, foi forçado a procurar outro emprego.

O jovem partilhou duas fotos, uma tirada em 2019, a outra em 2020, ambas no elevador, mas com uma diferença: na primeira Roman está vestido com o uniforme de piloto e na segunda segura a mochila de entregador de comida. Através das fotos que se tornaram virais, Roman Savin queria mostrar e comparar como a sua vida mudou com a pandemia.

O jovem tem três anos de experiência na pilotagem de aeronaves, mas a COVID-19 teve um grande impacto no setor, reduzindo consideravelmente as suas oportunidades. Enquanto em 2019 voava entre 90 e 100 horas por mês, em todo o ano de 2020 tem apenas 140 horas, então tem muitos dias de folga. Com uma média de apenas 1 voo por mês, o jovem teve de procurar outros empregos. Assim, durante a semana, trabalha como agente de vendas numa oficina de peças de aviação e ao fim de semana dedica-se a entregar comida ao domicílio.

A mudança de carreira foi abordada nas redes sociais - Facebook e Pikabu - e apesar da boa disposição com que abordou o tema, Roman mantém a esperança de voltar a ser piloto a tempo inteiro. Tornar-se piloto com apenas 20 anos parece estranho para algumas pessoas, mas Roman provou que se pode trabalhar para realizar os sonhos desde muito jovem. Para se tornar um piloto, teve mais de 2 anos de treino obrigatório. Começou com 17 anos, terminou os treinos com 19 e conseguiu o primeiro emprego aos 20 anos, contando assim com 3 anos de experiência.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.