A medida é parte da estratégia de contenção do novo coronavírus adotada a 16 de março no país.

Os únicos voos autorizados continuam a ser os de transporte de carga e de repatriação de estrangeiros em situações excepcionais.

Na quinta-feira, o Peru prorrogou o confinamento da população até 10 de maio.

O ministro de Transportes e Telecomunicações, Carlos Lozada, citado pela agência Andina, informou que o governo estuda um plano para auxiliar o turismo, gravemente afetado pelas restrições.

Além das fronteiras aéreas, o país também fechou as passagens terrestres, marítimas e fluviais.

O transporte entre as províncias também foi suspenso e milhares de moradores de Lima tiveram problemas para retornar às cidades de origem.

O governo peruano já havia anunciado às embaixadas que os voos de repatriamento tinham prazo até 22 de abril.

Cerca de 10.000 turistas ficaram presos no país, quando a pandemia surpreendeu o mundo.

O Peru registou até esta sexta-feira mais de 21.500 casos de coronavírus e 634 mortes desde que o primeiro contágio foi confirmado a 6 de março.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.