O homem não identificado estava com um dispositivo inativo, embora realista, para apresentar num evento de treino de segurança na Flórida, segundo informou a NBC News.

"Não nos arriscamos quando se trata de proteger a vida dos viajantes", disse Tom Carter, diretor de segurança federal da TSA em Nova Jersey, aos repórteres.

Carter acrescentou que o viajante, como alguém que trabalha em segurança, deveria ter tido mais cautela, pois sabia que estava a viajar com um dispositivo que se parece com uma bomba. "Ele deveria tê-lo levado para um posto de controle de segurança", disse Carter. "As suas ações irresponsáveis incomodaram centenas de passageiros."

A NBC News informou que, embora a TSA possa cobrar multas de até 12 mil euros por armas, não se sabe ao certo os valores que a organização pode cobrar por réplicas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.