Está localizada no Golfo de Nicoya, na costa do Pacífico, a cerca de 40 minutos de barco da cidade de Puntarenas.

De 1873 a 1991, a ilha foi usada como uma prisão, considerada, por muitos, a pior prisão da Costa Rica. Em 2001, foi declarada Refúgio de Vida Silvestre. Este ano a ilha foi consagrada como um parque natural.

Com cerca de 4,6 quilómetros quadrados de área, a ilha tem uma diversa vida selvagem, entre macacos, aranhas, cobras, faisões e oito espécies diferentes de morcegos; no mar circundante podem ser observados tubarões, raias e tartarugas.

Antiga ilha-prisão transforma-se no 30º parque natural da Costa Rica
créditos: Wikipedia

A ilha conta também com património edificado da antiga prisão: cais, igreja, hospital, escritórios e, claro está, as antigas celas, onde ainda é possível ler mensagens deixadas por quem lá esteve aprisionado.

Neste momento, a ilha ainda não está a receber turistas internacionais, mas já existe um plano em curso. Após 30 anos fechada, São Lucas vai começar a reabrir-se, por fases, ao turismo.
Em agosto, recebeu os primeiros visitantes nacionais.

A partir de 2021, prevê-se o melhoramento dos acessos e a construção de novas estruturas para que esta antiga ilha-prisão possa agora receber visitantes.

A Costa Rica abriga cerca de 5% da biodiversidade do planeta, com a vantagem de que esse tesouro natural está protegido pelo Sistema Nacional de Áreas de Conservação, que abrange um 25% da geografia nacional.

Veja aqui quais são as limitações e regras para visitar a Costa Rica durante a pandemia de COVID-19.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.