De acordo com os resultados de um inquérito realizado pela plataforma online, Booking.com, 75% dos mais de 12 mil viajantes entrevistados manifestou a vontade de viajar para um destino que fosse reconhecido pela sua gastronomia, e que este era um dos fatores a ter em conta numa próxima viagem.

A plataforma tem mais de 120 milhões de comentários, onde a comida se destaca como uma paixão partilhada por todos os viajantes, representando um tema central na análise feita pelos utilizadores.

A geração milénio é aquela que tem mais vontade de experimentar outros sabores, com 79% dos viajantes com idades entre os 18 e os 34 anos, a considerarem viajar para um local que é especificamente conhecido pela sua cozinha. São também os que mais se aventuram na chamada "street food" (10%), comparativamente com os utilizadores com idades acima dos 55 anos (4%).

O estudo da Booking.com também revela que 1 em cada 10 viajou o ano passado para destinos onde puderam realizar o sonho de comer em restaurantes internacionalmente reconhecidos, e 7% escolheu o destino devido à sua paixão pelo vinho.

O destino mais votado para uma experiência gastronómica inesquecível foi Hong Kong, pelos seus dim sum. Em comunicado, a Booking.com revela ainda que "os dados do nosso estudo indicam que a Ásia e a América do Sul são as regiões onde a comida é muito valorizada pelos viajantes, assim como cidades na Grécia, Austrália e Espanha. No primeiros dez lugares também surgem São Paulo, enaltecida pelo seu barbecue, e Tóquio, onde há mais restaurantes com estrela Michelin do que Nova Iorque e Paris juntas".

Portugal não foi esquecido, apesar de não aparecer nos 10 primeiros lugares do top. No entanto, há dois destinos nacionais que foram apontados pelos viajantes internacionais pela sua excelente gastronomia.

Descubra quais, no top 20 dos destinos mais recomendados para uma experiência gastronómica, de acordo com a Booking.com:

 


Sobre o estudo da Booking.com:
Foram entrevistados 12.781 utilizadores de 13 países, em setembro de 2016. Os participantes eram maiores de 18 anos e viajaram pelo menos uma vez em 2016, e tinham já uma viagem planeada para 2017.