Do tradicional borrego ao bacalhau, passando pelo irresistível chocolate, sem esquecer o vinho, descubra lugares para saborear a Páscoa de forma especial e em família.

Santa em Alfama

O Santa, no bairro de Alfama, tem várias sugestões para o Dia de Páscoa. O tradicional borrego, Sabor Divinal (26€) é servido em costeletas grelhadas temperadas com manteiga de ervas acompanhado com um risotto de mix de cogumelos. Para quem preferir peixe, o Bacalhau Divino (23€) é a opção perfeita, servido confitado, com estufadinho de grão e cebola roxa, chouriço, cebolinho e mexilhões. O novo chef à frente da cozinha do espaço junto à Sé, João Lima, sugere ainda a Brandade da Santinha (24€), com bacalhau em lascas numa leve emulsão de batatas e natas, cream cheese e erva com crosta crocante e gambas flambadas em vinho branco ou o Lombinho de Porco Alentejano (23€), selado temperado com molho agridoce, sobre um aligot de queijo da Serra da Estrela envolto numa redução de vinho do Porto. Pode reservar mesa no espaço para conhecer o novo chef e as restantes opções da ementa bem como o menu de cocktails disponíveis.

Maria Escandalosa no centro de Lisboa

O Maria Escandalosa, recente espaço inaugurado na capital, da chef e empresária Carolina Antony, localizado entre a Igreja de São Roque, o Teatro da Trindade e o Bairro Alto mistura o “sagrado, a boémia profana e a arte” prometendo sacudir o tradicional. Não há então melhor hipótese do que visitá-lo num dia de tradições, correto? Para a Páscoa, o espaço tem como sugestões o Tornedor Au Poivre Com Petit Pois À La Française (32€), um bife alto acompanhado com salada quente de ervilhas aromatizada com bacon, o Ragu De Porco Com Mousseline De Batata Doce Laranja (19€) ou a Comida de Sereia (25€), uma salada morna de frutos do mar com vieiras, mussels, camarões, sapateira e uvas verdes. Pode esta ser a data perfeita para conhecer um dos mais recentes espaços de restauração da capital que é guiado pelo glamour com uma decoração com velas e peças de antiquário, inaugurado no passado dia 8 de março – Dia da Mulher, precisamente.

Bono na Calçada Ferragial

Na Calçada Ferragial, o famoso Bono mistura as técnicas antigas de cozinhar com as técnicas mais recentes de confeção. O espaço, a meio caminho entre o Cais do Sodré, Terreiro do Paço e o Chiado, equilibra a rusticidade e o requinte na perfeição e tem sugestões deliciosas e novas para a estação primaveril e a época da Páscoa. Seguindo a tradição, o borrego não pode faltar; o Carré de Borrego com creme de maçã (29€) é servido com crosta de ervas, puré de maçã verde e demi glace. Não só o prato principal é importante, mas também a sobremesa – para terminar a sua refeição da Páscoa em bom – o Bono sugere o Cubo de Chocolate (8,50€), um cubo de ganache de chocolate glaceado com caramelo sale e avelã tostada.

31 d’Armada em Alcântara

Em Alcântara, o 31 d’Armada tem a esplanada mais famosa e romântica de Lisboa; é uma boa oportunidade para aproveitar o sol e desfrutar de um relaxado almoço de Páscoa. As opções são variadas como, por exemplo, o Borrego marinado com batatas laminadas (23€), o Lombo de Bacalhau fresco (24€), acompanhado com broa, espinafres e batata a murro e, para finalizar – com um toque romântico –, o Brownie de chocolate (8€), com pralinê de frutos secos e gelado de pistácio, que pode ser a perfeita opção para dividir com a cara-metade ou a família.

Caminhos Cruzados em Nelas

Fica no concelho de Nelas, Região Demarcada do Dão, e é um produtor irreverente em cada detalhe. Se é um apaixonado pelo mundo do vinho ou se está a dar os primeiros passos no setor, aproveite o período pascal para conhecer ou revisitar a Caminhos Cruzados, onde um imponente edifício de traça arquitetónica cruzada dá as boas-vindas para uma incursão nos multipremiados vinhos da casa, que reclamam o estatuto do Novo Dão.

Na Quinta da Teixuga pode participar nas atividades de caça aos ovos para miúdos (10 euros), ou para graúdos (20 euros), com surpresas para todos, que pode levar para casa, numa atividade que começa às 11h00.

Os bons sabores da região beirã vão à mesa num almoço onde pontuam as iguarias tradicionais da época. Sexta-feira Santa dita que não se possa comer carne, pelo que a proposta é um bacalhau com broa harmonizado com os vinhos da casa.

No sábado e na segunda-feira de Páscoa o repasto é mais alargado, com entradas, enchidos, queijo amanteigado de ovelha e o típico cabrito assado. Tudo por 60 euros por pessoa. Para abrir o apetite, antes do almoço há uma visita guiada à adega.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.