José Mariano López-Urdiales, CEO e fundador da Zero2Infinity, com sede em Barcelona, promete revolucionar o turismo espacial através de um meio de transporte diferente: balões de hélio. "Nós conseguimos resolver o acesso ao espaço de uma forma totalmente diferente: sair da atmosfera usando balões que voam a altitudes elevadas, a um custo reduzido, mais ecológico e com tecnologia de última geração. A partir daqui, as possibilidades são ilimitadas", disse em entrevista à AFP.

O objetivo é fornecer ao turista a mesma visão do espaço que tem um astronauta, como admirar a curvatura da Terra, a escuridão do espaço, as estrelas e planetas mais próximos.

A empresa espanhola está no mercado há cerca de sete anos e já efetuou 30 voos de teste, realizados com protótipos. Outras empresas, com a mesma ambição, como a World View Enterprises, com sede nos Estados Unidos, trabalha neste momento no transporte de turistas para o espaço usando igualmente balões de hélio.

"Em vez de lutarmos contra a gravidade, podemos usá-la a nosso favor", disse López-Urdiales, realçando que a sua empresa espera mudar completamente as missões espaciais com perfil de risco. Garante, ainda, que estes balões são muito seguros, com risco reduzido de explosão, e relativamente baratos. Uma viagem nos balões de hélio da Zero2Infinity custa 110 mil euros, contra os 250 mil dólares que a Virgin Galactic oferece, a empresa de turismo espacial do milionário britânico Richard Branson.

Uma viagem demoraria entre 5 a 6 horas, tempo suficiente para que o turista fique com uma boa lembrança da sua experiência. E irá levar os viajantes a uma altitude de 40 quilómetros, três vezes mais do que um voo comercial.

No entanto, antes dos turistas, o primeiro passo será o envio de satélites e profissionais, cientistas e astronautas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.