O Dia Internacional da Mulher marca a luta por direitos iguais e que em tantos lugares do mundo ainda estão longe de se tornar realidade. Na verdade, quase em todos os países, não é? Incluindo o nosso. Tão longe que estamos disso. E como se reflete isso no mundo das viagens?

Na verdade, mulheres a viajar sozinhas é algo que ainda assusta muitas sociedades. Como se fizéssemos algo que é fora do normal. Por isso, viajarmos, sozinhas ou em grupos, é tido como um ato feminista, de resistência e de empoderamento.

Com as nossas viagens, estamos a dizer a todas as mulheres – e principalmente a formar mentes mais novas – que o podem e devem fazer, sem medos. Sem medos de serem julgadas, sem medo de represálias e só assumindo que têm tanto direito de o fazerem como qualquer homem. Estamos no século XXI, mas já perdi a conta das vezes que perguntam se não tenho medo de ir sozinha para certos países. Aqui, vos digo: às vezes tenho mais medo de ir para certos lugares em Portugal, do que nos outros países. Não penso nisso a cada minuto, mas tento resguardar-me do que possa correr mal. E a verdade é que depois de começarmos, não conseguimos parar de nos imaginarmos sozinhas noutras paragens e noutras aventuras.

Susana Ribeiro em Kerala, Índia
Susana Ribeiro do Viaje Comigo em Kerala, Índia créditos: Viaje Comigo

Viajar sozinha é diferente. Muito diferente! Temos uma sensação de liberdade, ao mesmo tempo que somos donas e senhoras do nosso tempo, da nossa vida e de tudo o que nos rodeia. Temos controlo. Dá-nos independência. E, sem essas vivências, eu seria certamente uma mulher bem diferente da que me tornei.

Sozinha ou não, o Viaje Comigo nasceu para incentivar outros (e principalmente mulheres, como eu) a viajarem mais. A perderem medos, a enfrentarem outras culturas, a conhecerem outros cantos do globo e a verem o mundo com outros olhos.

Mesmo que não viaje sozinha, só o facto de viajar é já algo que enriquece esse desejo de conhecer melhor o mundo e testa os nossos limites. Ao estarmos em contacto com outras culturas - que até podem nem diferir assim tanto da nossa - trazemos novas ideias e diferentes perspetivas.

Consegui que algumas viajantes deixassem os seus depoimentos aqui. Espero que vos inspirem. Boas viagens!

Heloisa Righetto, Brasil/Londres - Conexão Feminista

“Ocupar espaços públicos é um ato político pra mulheres. É desafiador. Ainda nos veem como exceção, acham que não deveríamos estar “soltas no mundo” porque a sociedade nos quer “recatadas”. Portanto, pense que, ao se entregar para o mundo, você está abrindo caminho para outras mulheres.”

Madalena Vidigal, Portugal - Entre Vinhas

“Viajo sozinha sempre que posso, não por falta de companhia mas porque adoro! Fazer viagens sozinha pelo mundo tem sido das melhores descobertas da minha vida. Sobre o mundo e acima de tudo sobre mim. Descobri os meus medos e fraquezas mas também que sou destemida e forte e que todas as mulheres deviam viver esta experiência!”

Diana Miaus, Espanha - @dianamiaus

“Se algo aprendi através dos viagens foi descobrir como o mundo muda quando mudámos a forma como o olhámos. Encontrando beleza e satisfação nas pequenas coisas, nos recantos pouco comuns, sem deixar que os contratempos estraguem o dia e fazendo com que os nossos pensamentos e palavras mudem como sentimos e, assim, o que podemos alcançar. Hoje é o nosso dia, celebremos!”

Rute Obadia, Portugal - Blondie Traveler

“Se existe um bom conselho a dar é para viajarem sempre de coração aberto, prontas para fomentar laços, criar empatias e estarem abertas às diferenças culturais, porque são elas que nos enriquecem. No final de contas, viajar desconstrói-nos todas as certezas e torna-nos mais abertos aos outros, humaniza-nos!”

Liliane Cobiao, Filipinas

“Sou tão agradecida por viver nestes tempos em que as mulheres-viajantes têm as mesmas oportunidades que os homens. E por ter nascido num país onde sou livre de aproveitar todas as oportunidades que se me apresentam.”

Inma Gregorio, Espanha - A World to Travel

"Se tivesse que escolher o que mais marcou o rumo da minha vida e deu forma ao que sou hoje, sem dúvida escolheria o viajar sozinha. A vida é curta, mas se a vives como deve ser, é suficiente. Incentivo-te a fazê-lo se é que ainda não o fizeste já. Viaja e fá-lo sozinha de vez em quando. Não só descobrirás um mundo exterior, mas também o teu interior se enriquecerá. Desfruta-o!"

Leia mais relatos de mulheres viajantes aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.