A empresa InsuranceQuotes.com, com sede no Texas, realizou 18 testes em seis superfícies nos três dos principais aeroportos dos EUA. Cada superfície foi analisada várias vezes e, em seguida, foi calculado a média da quantidade de unidades de formação de colônias (UFC) - medida usada para calcular o número de bactérias e fungos de uma amostra.

A conclusão a que chegaram é que os lugares mais sujos num aeroporto são as máquinas de auto check-in (aquelas que, praticamente, todos os viajantes usam nos dias de hoje). De acordo com o estudo, a média do ecrã de check-in automático nos aeroportos continha 253.857 UFC (em comparação, uma média de apenas 172 UFC foi encontrada nos assentos das sanitas). E esse é apenas o número médio encontrado nos ecrãs testados - uma das máquinas de check-in tinha mais de um milhão de UFC).

Os braços dos bancos dos portões de embarque e os botões dos bebedouros ficaram em segundo e terceiro lugar, com 21.630 UFC e 19.181 UFC, respectivamente.

O estudo também foi feito dentro dos aviões e chegou à conclusão que os botões do lavatório são a superfície mais suja, seguidos pelos suportes de bandeja e pelas fivelas dos cintos de segurança.

De acordo com um relatório de 2017 da Thrillist, a FAA (Administração Federal de Aviação) não regula com que frequência as companhias aéreas precisam higienizar seus aviões.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.