Quando alguém faz download de uma aplicação, os criadores têm acesso aos seus dados, e alguns vendem-nos para empresas de publicidade ou outros bancos de dados.

Um estudo da Universidade de Oxford descobriu que, em média, uma aplicação pode transferir os dados de um utilizador para 10 empresas e estas as empresas podem usar os dados - tais como os hábitos e localização - para traçar um perfil convincente de quem a pessoa é.

A Surfshark investigou as políticas de privacidade de mais de 200 aplicações para descobrir quais recolhem mais dados e quais recolhem menos.

Juntamente com as redes sociais, as aplicações de encomenda de comida são as que mais recolhem dados dos utilizadores. Seguem-se as aplicações de compras, encontros, pagamentos e reservas de voos.

Os dados mostram que o Priceline é a aplicação de reserva de voos mais invasivo, enquanto Kayak e Momondo são os mais seguros de usar. A maioria das aplicações de reservas de voos recolhe entre 11 e 16 segmentos de dados, mas a Priceline dispara com 23.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.