Em Chamonix, há de tudo para todos os gostos e todos os níveis. Ski, parapente, escalada, base jump, vias ferratas, caminhadas, glaciares, ciclismo de montanha, trail running, rafting, canyoning, etc. E como a zona de Chamonix é, de longe, o sítio onde mais me pedem dicas, conselhos e sítios a não perder, cá vai o meu top 13 por ordem completamente aleatória:

1- Apanhar o comboio que parte da cidade até ao Montenvers e visitar o Mer de Glace a 1913 metros de altitude antes que desapareça nos próximos anos. É o maior glaciar em França mas a cada ano que passa a língua de gelo está cada vez mais pequena. Para além das vistas fantásticas para os Drus e Grand Jorasses, é possível visitar a caverna de gelo, o museu de cristais e, para os mais experientes, colocar os crampons e descer ao glaciar e caminhar por entre as crevasses.

2- Subir de teleférico até aos 3842 metros da Aiguille du Midi (só é permitido a crianças com mais de 3 anos). Para além das vistas de cortar a respiração a grande atração é o “step into the void”. Basicamente uma caixa de vidro suspensa no abismo onde se entra e se fica virtualmente suspenso no vazio.

3- O lago dos Gaillands à saída de Chamonix. Um pequeno tesouro que tem escapado aos turistas. Além das vistas para o maciço do Mont-Blanc tem um pequeno bosque em frente ideal para um passeio ou um piquenique e uma parede de escalada com vias acessíveis a iniciados.

Lago dos Gaillands
No inverno o lago dos Gaillands fica ainda mais bonito créditos: Mundo Magno

4- A feira de sábado de manhã em Chamonix. É frequentada praticamente só por locais e é um paraíso de frutas frescas, pizzas caseiras, produtos tradicionais da região e artesanato.

5- O glaciar dos Bossons. Dos 40 glaciares da região este é talvez o mais fácil de aceder. No Verão é possível usar as telecadeiras para chegar ao “view point” sem qualquer esforço. É ainda possível lá chegar com uma caminhada de uma hora pela floresta. Já fomos das duas formas e vale mesmo muito a pena. Dali, para os mais ousados, é possível continuar a subir durante 4 horas até à Jonction, o local onde os glaciares Bossons e o Taconnaz ainda são um só.

6- Compras de roupa e material de montanha. Praticamente todas as marcas mundiais estão representadas em Chamonix e é muito fácil uma pessoa se desgraçar em compras. As minhas lojas favoritas na cidade são a Snell, a Comptoir des Montagnes e a Technique Extrême.

7- A aldeia de Agentière e o glaciar com o mesmo nome. Se no Inverno não houver neve na cidade de Chamonix é quase certo que em Argentière encontram. É dali que parte o teleférico que dá início a uma série de caminhadas em volta do glaciar e algumas delas fáceis de fazer com crianças.

Aldeia de Agentière
créditos: Mundo Magno

8- As gaufres/ waffles de Chamonix. Mas não todas. As melhores são as de uma pequena barraca de madeira que só abre da parte da tarde (das 14.00 às 18:00) e que fica perto da praça da feira ao lado da loja de congelados Picard. A receita da massa é um segredo de família que foi passada ao Jean Pierre pela tia. Mas como se não bastasse a excelência da massa o creme de limão caseiro é qualquer coisa do outro mundo. Valem cada cêntimo dos 3,00€ que custam.

9- As caminhadas no maciço são qualquer coisa de único. São centenas de quilómetros e percursos possíveis para todos os níveis e condições físicas e, entre Maio e Outubro, franceses e turistas partilham alegremente os caminhos. As minhas caminhadas favoritas até agora são a do Lac Blanc; a do Lac Chesery (dá para fazer isolado ou juntar ao do Lac Blanc); a do Plan de L'Aiguille até Montenvers; Lac Cornu e Lacs Noirs; Flégère até Planpraz. Todas estas caminhadas já foram testadas por nós com uma criança pequena e aprovadas.

Caminhadas
créditos: Mundo Magno

10- O Mont-Blanc. Tudo gira à volta do maior cume da Europa Ocidental e dos seus imponentes 4808,72 metros. É difícil de avistar de Chamonix (as pessoas normalmente estão a ver o Mont Maudit e pensam que é o Mont Blanc). Vê-se melhor nas aldeias à volta da cidade. Cerca de 20.000 pessoas sobem o monte por ano e apesar de não ser uma ascensão tecnicamente difícil exige, ainda assim, experiência, preparação e material adequado.

11- Esquiar em Chamonix. O forfait não é barato (mais de 50€ por dia) mas a qualidade das pistas e as vistas não têm preço. Quem tiver mais dias para gastar aconselho vivamente ir até às zonas vizinhas de Megève e Saint Gervais.

12- Esquiar a Vallée Blanche. Esta pista de ski, segundo dizem, a maior do mundo com os seus 20Km e uma descida vertical de 2700 metros, merece uma categoria à parte. Começa na Aiguille du Midi e termina na cidade de Chamonix. É apenas recomendada para esquiadores de nível avançado e deve ser feita com um guia visto existir risco de queda em crevasses, queda de seracs e avalanches.

Tudo começa nesta aresta na Aiguille du Midi
créditos: Mundo Magno

13- O Parque Merlet. O parque em si não é nada de especial mas as vistas sim. Tem o restaurante/bar com as melhores vistas do mundo a mais de 2000 metros de altitude e mesmo em frente ao Mont-Blanc. Está aberto na primavera e Verão. No Inverno só com marcação e acesso com guia de montanha.

Dicas úteis para quem quer ir

- A melhor forma de chegar a Chamonix é através do aeroporto de Genebra que fica a cerca de uma hora. Encontra-se facilmente voos de ida e volta Portugal/ Genebra por menos 100€ e depois é só apanhar um dos muitos autocarros que fazem a ligação a partir do aeroporto;

- O autocarro elétrico que anda pela cidade é gratuito e dá muito jeito visto o centro da cidade não estar acessível a carros;
- Aprender a dizer Chamonix corretamente para impressionar os locais: Chamonix com o "X" mudo.

- A página La Chamoniarde é muito útil e tem as informações mais atualizadas e fiáveis, incluindo as meteorológicas.

Acompanhe as nossas aventuras mais recentes no Instagram Mundo Magno

Artigo originalmente publicado no blogue Mundo Magno

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.