1 - Escolha

Na rede Couchsurfing há imensos anfitriões oriundos de milhares de cidades, vilas ou aldeias, mesmo nos lugares mais remotos do planeta. E estas pessoas estão disponíveis para nos alojarem de graça. É incrível! Então isto significa que há muitas opções para escolhermos como nossos cicerones. A diversidade é infinita. Só temos que escolher. Procure a pessoa que considera mais parecida consigo ou que lhe vai mostrar o lugar com mais entusiasmo ou a que lhe vai dar mais flexibilidade para ficar hospedado em casa.

2- Procure e ganhe recomendações

O ponto chave destas redes de hospitalidade assenta na construção da reputação que cada utilizador deve fazer à medida que vai hospedando ou sendo hospedado por outros membros. Para tal, depois da experiência de hospedagem, a rede Couchsurfing, solicita aos seus utilizadores que deixem um pequeno texto a descrever as impressões gerais da experiência. Isto para que os restantes membros possam conhecer as suas opiniões. Por isso, leia o perfil dos utilizadores e procure os que têm mais recomendações positivas. Para além disso, deve sempre procurar arrecadar o maior número de recomendações seja como viajante ou anfitrião. Desse modo, o Couchsurfing colocá-lo-á nos lugares mais cimeiros das listagens de utilizadores da sua localidade, pois os algoritmos informáticos de listagem costumam ser meritocráticos e, assim, destacar os utilizadores mais recomendados.

3 - Confiar

É muito importante que confiemos em quem nos aloja. Se tiver quaisquer dúvidas ou questões sobre os seus potenciais anfitriões, coloque todas as questões logo antes de ir ou então combine primeiro num espaço público, assim que chegue ao destino, para trocarem impressões e decidir se sempre fica em casa dessas pessoas ou se prefere ficar noutro lugar. Por exemplo, combinar num café ou num centro comercial é uma forma neutra de poder tirar as suas conclusões. Depois, uma vez feita a decisão, deve confiar a 100% nos anfitriões, pois, lembre-se, eles abrem-lhe a sua casa, dão-lhe o seu tempo e muitas vezes até lhe emprestam as chaves de casa. Ou seja, à partida, não há qualquer motivo para você desconfiar. Até porque quem poderia temer algo seriam eles. Então, uma vez que estas pessoas decidem recebê-lo de graça, com base na confiança, então há que pelo menos corresponder a essa abertura.

4 - Ser confiável

Para confiarem em nós, temos também de mostrar que somos pessoas de confiança. Para tal, devemos ser o mais relaxados, simpáticos e transparentes possível com os anfitriões. Só teremos a ganhar, pois isso desarma e dissipa quaisquer dúvidas que possam existir quanto às nossas intenções na casa deles. Então temos que ser mesmo afáveis, despretensiosos e sorridentes para mostrar que apenas pretendemos viver uma experiência genuína com habitantes locais, travar novas amizades e, desse modo, desfrutar mais do lugares onde estamos

5 - Ofereça algo

Se estas pessoas nos oferecem alojamento a troco de nada, é sempre cortês e uma atitude positiva da nossa parte oferecermos algo em troca. Seja uma pequena lembrança que levamos do nosso país ou cidade, ou uma peça de roupa que deixamos pelo caminho, como uma t-shirt, por exemplo, ou algo que cozinhamos para eles. Enfim, há muitas possibilidades e eles vão gostar muito. E lembre-se que o Couchsurfing bem como outras redes similares existem, acima de tudo, para propiciarem um intercâmbio de experiências internacionais. No fundo, está a viajar e é hospedado por pessoas locais mas eles também viajam de certa forma, pois têm em casa alguém de fora e muitas vezes de um país que nunca conheceram ou pensaram visitar. Então é importante deixarmos-lhes algo.

6 - Deixe fluir

Quando alguém aceita recebê-lo em casa é porque essa pessoa está disposta a disponibilizar o espaço dela bem como uma boa parte do seu tempo, só para si. Acima de tudo, isto é uma prova de generosidade e hospitalidade genuína e despretensiosa. Como tal, é muito importante que abrace essa generosidade e deixe esta experiência de alojamento fluir. Muitas vezes os anfitriões também fazem questão de lhe mostrar a cidade, ou até mesmo, de o apresentar aos seus amigos e familiares. Então, tudo isto vai fazer da sua viagem especial e única. E a melhor forma de poder vivê-la consiste em deixar as coisas acontecerem, sem fazer planos rígidos e adaptando-se ao tempo, condições e à boa vontade de quem o irá alojar.

7 - Respeite as regras da casa

Como vai estar na casa de outras pessoas, é importante perceber quais as regras pelas quais esse espaço se rege. Como sempre fazemos, até quando vamos visitar os nossos familiares, costumam existir as "regras da casa" e aqui é o mesmo. Como há muita diversidade de pessoas, podemos ver um pouco de tudo: alguns anfitriões fazem questão que esteja fora de casa durante o dia a passear no centro da cidade; outros que não saia de noite para as discotecas; outros que faça um prato da sua gastronomia ou que ajude a aparar a relva no jardim. Enfim, há de tudo. Mas, claro, no Couchsurfing tudo assenta no bom-senso e na confiança e, acima de tudo, não há qualquer dinheiro envolvido.

8 - Use outras redes de hospitalidade

Também vale sempre a pena pesquisar anfitriões ou receber hóspedes em mais redes para além do Couchsurfing, como por exemplo o Hospitality Club, o Be Welcome, o Warm Showers, o Global Freeloaders, o Servas ou o WWOOF, pois desse modo estará a aumentar as suas probabilidade de conseguir um lugar onde dormir sem pagar nada ou, por outro lado, de receber viajantes em casa.

9 - Mantenha as amizades

E, claro, é muito vantajoso manter uma amizade ao longo do tempo, pois, hoje em dia, é muito fácil comunicarmos mesmo à distância de milhares de quilómetros pela internet no seu computador ou no seu telemóvel. E, quem sabe, se uns meses ou anos depois, essas pessoas não o irão visitar à sua cidade? Também acontece muito.

10 - "Pay It Forward"

Como nota final, para além de oferecer algo em troca ao seu anfitrião, assim que regressar à sua cidade, deve também alojar outras pessoas e, assim, repassar a generosidade a outros viajantes pois esta é uma atitude muito positiva para a sociedade uma vez que estas redes são acima de tudo assentes no valor da partilha e da hospitalidade e, como tal, devemos contribuir o mais possível para estas cadeias globais de pessoas que têm gosto em receber viajantes a troco de nada. É como o filme "Pay It Forward". E lembre-se que de acordo com as Leis do Karma, tudo aquilo que damos ao universo, depois de uma forma ou de outra, recebemos de volta. Então, vale a pena fazer parte de uma reação em cadeia, ao viajar e hospedar viajantes desta forma.

Texto de João Lopes Aguiar - autor do livro "Os Meus Descobrimentos - Volta ao Mundo em Couchsurfing" - osmeusdescobrimentos.com

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.