Depois de desvendarmos os alojamentos mais procurados na Airbnb em agosto, mostramos as tendências para este mês e outubro em que as boas temperaturas se prolongam em muitos lugares nacionais.

A praia, perto de casa, continua a liderar as tendências em Portugal, enquanto que os viajantes na Europa, que pesquisam ou fazem reservas através da Airbnb, começam a reconsiderar viajar para meios urbanos.

Em toda a Europa, as reservas feitas em agosto para viagens à cidade (para setembro e outubro) representam agora mais de um terço do total, enquanto que em maio as viagens para a cidade representavam um quarto do total.

Já em Portugal, onde o clima permite o prolongamento dos hábitos de verão, os destinos tendem a estar associados à praia em setembro e outubro.

Veja quais são os destinos de tendência em Portugal para os meses de setembro e outubro, de acordo com a Airbnb:

  • Lagos (Faro)
  • Olhão (Faro)
  • Odemira (Beja)
  • Aljezur (Faro)
  • Nazaré (Leiria)
  • Esposende (Braga)
  • Ponte de Lima (Viana do Castelo)
  • São Teotónio (Beja)
  • Alvor (Faro)
  • Tomar (Santarém)

 Espontaneidade e flexibilidade

Outra tendência deste outono é a espontaneidade e a flexibilidade. Globalmente, o tempo médio entre uma reserva e uma estadia diminuiu em dez dias em comparação com o ano passado. Em Portugal, este intervalo de tempo foi reduzido para metade, destacando uma grande mudança de atitude aquando da reserva, talvez, conforme a Airbnb, causada pelas condições da evolução da pandemia e pelo aumento das viagens de curta distância.

Ainda de acordo com a análise elaborada pela plataforma, os viajantes continuam a dar prioridade à segurança e às viagens de proximidade, por estrada e em automóvel privado; mais de metade das reservas feitas em agosto (para setembro e outubro) estão num raio de 500 quilómetros de casa. Podemos dizer que, no universo Airbnb, as pequenas pausas estão aqui para ficar este outono.

Viajar e trabalhar remotamente: alojamento de longa duração e que admite animais

À medida que a pandemia continua, mais empresas estão a facilitar o trabalho remoto como semi-permanente ou mesmo permanente.

Na Airbnb há cada vez mais viajantes a procurar alojamento por períodos um pouco mais prolongados (semanas ou estadias longas: mais de quatro semanas). Esta tendência fez ainda com que as pesquisas que incluem o filtro "permitir animais de estimação" crescessem 90% no último ano, de acordo com os dados publicados pela empresa.

Singularidade do alojamento e conexão com os entes queridos, novas razões para viajar

À medida que o verão se funde com o outono, os viajantes aproveitam as pontes e fins-de-semana para ficar em lugares especiais ou únicos. Enquanto no verão prevalece a distribuição e praticidade (número de quartos, equipamento, etc.), na transição do verão para o outono, para fugas de não mais de quatro dias, há um interesse crescente em estadias que são únicas, devido à sua decoração, localização ou privacidade.

Para a AirBnb, a COVID-19 transformou a razão para fazer escapadinhas: a prioridade não é tanto o facto de viajar e mudar-se para um novo local, mas encontrar um alojamento especial para usufruir da companhia da família e amigos num ambiente seguro.

Globalmente, os alojamentos classificados como "refúgios para pastor" ou "cabanas" foram os que mais cresceram nas listas de desejos dos viajantes, duplicando em comparação com o ano passado. Outros alojamentos mostraram um crescimento semelhante: celeiros (mais de 60%), cabanas (mais de 40%), casas de campo (mais de 30%). Dos 20 alojamentos mais desejados internacionalmente em agosto, cinco são casas na árvore, três são mini-casas e duas são domes, enquanto espaços como abrigos, cabanas, casas de campo e grutas estão também incluídos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.