A Torre del Oro foi, há séculos, um dos mais importantes edifícios de Sevilha. Erigida ainda na época Moura, no século XIII, tinha como objetivo defender a cidade dos ataques a partir do rio Guadalquivir. Mais tarde, foi uma prisão e, depois, o lugar onde ficavam guardadas as riquezas que chegavam na época dos Descobrimentos. Com os seus 36 metros de altura, a Torre do Ouro é, sem dúvida, um ícone de Sevilha e hoje abriga o Museu Naval, além de guardar uma vista deslumbrante para a capital da Andaluzia, a partir do terraço.

Dali, é impossível não ver outra torre que já conquistou um lugar de destaque no panorama sevilhano. É o edifício mais alto da Andaluzia, obra do arquiteto César Pelli, responsável também, por exemplo, pelas Torres Petronas em Kuala Lumpur, Malásia. A estrutura cilíndrica cor de cobre da Torre Sevilla cresce até aos 180 metros de altura, afirmando-se como um novo miradouro da cidade, na zona de La Cartuja que guarda também a herança da Expo 92.

Quer ter Sevilha aos seus pés? Então, tem de conhecer este hotel
Torre Sevilla vista a partir do rio Guadalquivir créditos: DR

Um lugar perfeito para um hotel cinco estrelas

A Torre é o “novo ícone de Sevilha”, como é chamado por Maribel Rios, coordenadora de eventos do Eurostars Torre Sevilla que ocupa os últimos 19 andares do edifício, ficando, sem dúvida, com as melhores vistas.

O hotel abriu em 2018, mas esteve fechado durante o período de pandemia. Tem 244 quartos e 17 salas de reuniões, sendo, por isso, um hotel muito voltado para as viagens de negócios e eventos – uma curiosidade, é o hotel sede da seleção de futebol espanhola. Há, contudo, todos os perfis de hóspedes, garante a responsável, enquanto nos leva numa visita guiada pelo interior da grande torre em que os elevadores demoram apenas 35 segundos para subir 37 andares, sendo, portanto, normal sentir uma certa pressão nos ouvidos.

A luz natural que entra pelos janelões envidraçados é algo que fica na retina, bem como as vistas 360 graus para Sevilha, de um lado, e para a região de Aljarafe, do outro. Qualquer que seja o ponto de visão, é impossível não ficar a contemplar o cenário, tentando abarcar todos os pormenores.

Quer seja do restaurante El Duende, da sala onde é servido o (completo) pequeno-almoço ou do spa, é como ter à nossa frente um mapa real da cidade com a possibilidade de decidir quais pontos queremos visitar durante a estadia.

Às margens do Guadalquivir, que serpenteia entre Sevilha, vemos, pequenina, a Torre del Oro, bem como as atrações mais emblemáticas do centro histórico, com destaque para catedral, a terceira maior do mundo, e a sua imponente torre sineira, a Giralda.

Vistas a partir do Eurostars Torre Sevilla
Pormenor do Centro Histórico de Sevilha créditos: Alice Barcellos

Ficamos num quarto espaçoso com vista para a região de Aljarafe, com todos os pequenos luxos de um hotel cinco estrelas: snack de boas-vindas, roupões e chinelos, produtos de higiene de qualidade, uma cama king size confortável num quarto com muito espaço e muita luz natural. Nota para o sistema de black out das cortinas que funciona bem e garante a escuridão para os que são mais sensíveis à claridade.

A experiência no Eurostars Torre Sevilla deve incluir uma ida ao spa que, além da carta de tratamentos, tem uma piscina com jacuzzi, sauna, banho turco e duche sensorial. Mesmo que a sauna não seja a sua escolha mais óbvia, recomendamos uma passagem por lá por causa da vista.

Para completar a estadia, pode optar por experimentar também algumas opções de tapas e pratos do restaurante El Duende ou beber um cocktail no Terraza-Mirador Atalaya Torre Sevilla.

Por último, ver o nascer ou o pôr do sol é também uma experiência que vai bater diferente a partir da Torre Sevilla. As diárias começam nos 120 euros.

Explorar a cidade

Depois de ter Sevilha aos seus pés, vai ficar, com certeza, com muito mais vontade de sair para descobrir esta joia andaluza.

E pode começar logo pelos arredores do hotel, numa zona mais moderna da cidade. Imperdível é uma paragem no Centro Andaluz de Arte Contemporânea, um antigo convento franciscano que foi reconvertido em fábrica de cerâmicas, apresentando, hoje, a herança destes dois propósitos.

Centro Andaluz de Arte Contemporânea
Centro Andaluz de Arte Contemporânea créditos: Alice Barcellos

Para continuar a ver arte, a próxima paragem do roteiro será no CaixaForum de Sevilha, que faz parte do mesmo complexo edificado da Torre, onde também se encontra um centro comercial e jardins. Antes ou depois, a visita fica completa com uma caminhada à beira-rio.

Percorrer o centro histórico Património Mundial da Unesco é obrigatório, conhecendo os três edifícios que deram esta distinção à cidade: o Real Alcázar, o Arquivo das Índias e a catedral. Mesmo ao lado, encontra o bairro de Santa Cruz, o mais antigo da cidade que conquista pelas ruelas, praças e laranjeiras. É também o local ideal para saborear tapas.

A incluir ainda no roteiro: a já aqui mencionada Torre do Ouro, a belíssima Praça de Espanha, o Parque Maria Luísa, o charmoso bairro de Triana, e os arrojados Cogumelos (ou Setas) de Sevilha. Por último, mas não menos importante, assistir a um espetáculo de Flamenco e emocionar-se com esta expressão artística classificada como Património Imaterial da Unesco.

O SAPO Viagens visitou Sevilha a convite do Eurostars Torre Sevilla em parceria com El Palacio Andaluz, Turismo de Sevilla e Cruceros Torre del Oro

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.