O novo hotel boutique no coração de Holborn, L’oscar, é uma joia arquitectónica de 1901, agora restaurada por Jacques Garcia, responsável pelo Hotel Côstes de Paris e pelo La Mamounia de Marraquexe. A proteção patrimonial do edifício ficou assegurada, o que significa que os detalhes originais, como os pisos em mármore preto e branco, o corrimão de mogno e as lareiras em todos os quartos permaneceram, tornando o hotel um lugar exuberante.

É um hotel de 5 estrelas e 39 quartos com detalhes luxuosos, passadeiras vermelhas e veludo em cada canto. A antiga capela da igreja, abriga, agora, o bar pouco iluminado que serve coquetéis do "Antigo Testamento" ("Humildade", "Caridade" e "Bondade") e "Novo Testamento" com várias bebidas com nomes dos sete pecados mortais.

Os quartos possuem paredes vermelhas e cabeceiras bordadas à mão. O gerente, Michael Voigt, passou pelo menos uma noite em cada quarto, para antecipar as necessidades dos hóspedes. Há toalhas e roupões de banho, produtos de banho exclusivos da marca Roja, máquina de café Nespresso e frigorífico. Quanto aos edredons suntuosos que cobrem as camas, Voigt afirma que demorou dois anos para adquiri-los já que foram cheios com penas de pato. “Não lhes arrancamos as penas. Esperamos que caíssem."

O hotel oferece também uma experiência gastronómica no restaurante, o Baptist Grill, onde a opulência e a tentação se combinam na capela abobadada sob a orientação do chef executivo Tony Fleming.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.