A Torre é uma das referências para a descoberta da Serra da Estrela. Só quando há muita neve — um dos momentos mais esperados — é que os acessos rodoviários são cortados.

Torre na serra da Estrela
créditos: andarilho.pt

Com vento e nevoeiro torna-se inóspito e percebemos melhor o impacto dos 1993 metros de altitude.

Torre na serra da Estrela
créditos: andarilho.pt

Com céu limpo, a vista alcança a serra da Boa Viagem, junto à Figueira da Foz, a serra do Marão e, para Sul, a serra de S. Mamede, no distrito de Portalegre.

A cordilheira sempre teve um grande impacto em toda a região Centro de Portugal. Por outro lado, foi associada a lendas, a um lugar sagrado e a referência da nacionalidade. Um conjunto muito alargado de motivos que contribuiu para que a Torre seja muito visitada.

Torre na serra da Estrela
créditos: andarilho.pt

Diz Carla Ramos, que trabalha na Torre, que “muitas pessoas ficam por aqui ao longo do dia. Chegam de manhã e depois vão fazer caminhadas e tirar fotografias. Quando o tempo está bom, toda a encosta da serra dá para tirar boas fotografias. Muitas ao pôr-do-sol. Há quem venha ao final do dia de propósito para tirar fotografias do pôr-do-sol.".

Torre na serra da Estrela
créditos: andarilho.pt

Carla Ramos tem uma loja de produtos tradicionais num dos espaços comerciais. No verão, regista ainda a presença de emigrantes e de estrangeiros. “Sim, muitos. Mais espanhóis por causada pandemia”.

Torre na serra da Estrela
créditos: andarilho.pt

Muitos vêm à procura da beleza natural. O planalto coberto de branco ou a aridez selvagem do verão. Na primavera e outono é um excelente ponto de partida para caminhadas.

Torre na serra da Estrela
Vale Glaciar do Zêzere créditos: andarilho.pt

“Geralmente as caminhadas são marcadas de março a outubro, para não apanharem neve. Muitas vezes começam na Torre. Deixam aqui os carros.

Torre na serra da Estrela
Loriga créditos: andarilho.pt

Uns regressam a pé, outros chegam de táxi. Vão para Manteigas, Sabugueiro, Unhais, Loriga e até para a Covilhã. Há trilhos que estão marcados para estes percursos.” São poucas as construções na Torre.

Torre na serra da Estrela
créditos: andarilho.pt

Além dos dois pequenos centros comerciais, em edifícios térreos, destacam-se as duas torres com cúpula redonda e que foram antigos radares da Força Aérea utilizados pela Esquadra N.º 13 e desativados em 1971.

Torre na serra da Estrela
créditos: andarilho.pt

Há ainda a capela da Senhora do Ar e centenas de metros de subterrâneos que eram utilizados pelos militares, mas aos quais não temos acesso.

Torre na serra da Estrela
créditos: andarilho.pt

Destaca-se ainda uma torre de pedra, como se fosse uma fortaleza, mas que deve provocar confusão aos visitantes sobre o nome do lugar que antes se chamava Malhão da Serra.

Torre na serra da Estrela
créditos: andarilho.pt

A designação de Torre surge depois da construção de uma base de pedra que tem por cima um marco geodésico. O conjunto tem a altura de sete metros, o que faltava para a Serra da Estrela atingir a altitude de dois mil metros. A construção foi em 1806 quando D. João (futuro D. João VI) era regente e após um levantamento com dados geográficos de Portugal Continental.

Torre na serra da Estrela
Covão de Ametade créditos: andarilho.pt

Caminhar na serra da Estrela a partir da Torre faz parte do programa da Antena1 Vou Ali e Já Venho e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.