Um pouco por todo o mundo existem bairros orientais, que criam verdadeiras comunidades, repletas de tradições e costumes que se transmitem durante gerações. Visitar um destes bairros orientais pode ser uma experiência muito divertida.

Aprecie a nossa selecção dos bairros orientais típicos mais emblemáticos.

Chinatown, Nova Iorque, Estados Unidos da América

Este é talvez o bairro chinês mais conhecido do mundo. É comum vê-lo em séries e filmes. Ruas apinhadas de vendedores, letreiros que misturam o inglês com o mandarim e restaurantes típicos de cada canto do país de origem espalhados por todas as ruas.

Mas mesmo nesta azáfama, em Columbus Park, logo pela manhã ouve-se uma música baixa de meditação que acompanha os praticantes de Tai Chi chuan.

Chinatown, NY

Barrio Chino, Havana, Cuba

Até o fim dos anos 1950, Havana albergava cerca de 50 mil chineses. O número caiu drasticamente nas últimas décadas, mas a tradição chino-cubana permanece nos arcos típicos que adornam as ruas, no jornal Kwong Wah Po (o único do país impresso em espanhol e chinês) e em restaurantes como o Tien Tan, que serve mais de 100 pratos.

Cuba

Quartier Chinois, Paris, França

O principal reduto asiático da capital francesa fica no 13º arrondissement. A região é povoada principalmente por comerciantes vietnamitas e chineses, que dominam as ruas com os seus letreiros de neon e mercados de produtos típicos, como o Paris Store.

Para além das compras e refeições, é possível assistir a uma missa em cantonês e adquirir produtos baseados em ervas orientais, feitos à medida.

Paris

Barrio Chino, Buenos Aires, Argentina

Ao passear pelo bairro de Belgrano, basta cruzar a intersecção das ruas Juramento e Arribeños para ver a paisagem começar a mudar. O bairro chinês pode ser pequeno (a parte principal fica em apenas dois quarteirões), mas chega a receber quase 20 mil visitantes a cada fim de semana. Por lá espalham-se lojas de bugigangas, mercados orientais e floriculturas com plantas nativas.

Argentina

Liberdade, São Paulo, Brasil

A cidade tem cerca de 33 mil imigrantes japoneses – é a maior comunidade nipónica fora do Japão.

A melhor representação da cultura nipónica está em Liberdade, com as suas ruas ladeadas por suzurantos (lanternas típicas) e cheias de restaurantes. Se procura o “paraíso geek”, o sítio certo é a Sogo Plaza,  uma galeria que vende mangás, animes e itens do universo otaku.

Brasil

Koreatown, Los Angeles, Estados Unidos da América

A região reúne muitos elementos coreanos, desde restaurantes às lojas de produtos do estilo musical k-pop. Além das tradições orientais e da atmosfera californiana, o bairro tem uma grande população latina. Ou seja, é comum ouvir, ao mesmo tempo, inglês, espanhol e coreano, tudo misturado.

Koreatown

Chinatown, Melbourne, Austrália

A corrida ao ouro do século 19 levou muitos chineses para a Austrália. Chinatown fica no coração da cidade. Em prédios baixos feitos de tijolo estão restaurantes cantoneses, lojas de ervas medicinais e o Chinese Museum, que tem exposto o maior dragão cerimonial do mundo.

Austrália

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.