Malta é um país, plantado no meio Mediterrâneo, que é obrigatório visitar. Quando escolhi este destino, fui a trabalho e não incrementei a minha lista de atrações turísticas. Fui cinco dias e pensei que me sobraria tempo para apanhar sol nas águas azuis escuras. Lembrou-me praias gregas. Mas, fui apanhada em boa surpresa. Conhecia pouco sobre o país, embora sempre quisesse ter conhecido a ilha de Gozo pois sou uma pura latinista. E conheci, aliás entrei dentro da gruta e parece que até hoje ouço o choro de Calipso, a ninfa marinha que ali habitava mesmo depois do seu amante, Ulisses, ter continuado a sua Odisseia. Mas este mito (será que foi mesmo um mito?) é para visitarem depois de conhecerem as verdades de Malta. Convém ordenar a lista de atrações nesta viagem, para a tornar fantástica. O problema é escolher o que visitar!

Desta vez, vou influenciar a sua decisão por causa da quadra festiva, sobretudo a pensar no Natal e sugerindo algo diferente da Disneyland: vá em família e foque a sua visita na fábrica da Playmobil e o seu fun-park!

Desde a capital, via autocarro ou de táxi (cerca de quinze minutos) chega ao colosso da marca Playmobil que fez agora 46 anos! Eu fiquei a estremecer de curiosidade quando, em plena Valeta, me foi dito que a Playmobil tinha a sua sede em Malta.

Valeta, Malta
créditos: Micaela Parente@unsplash

Tendo começado na Alemanha nos anos setenta, foi desenvolvendo cada vez mais modelos de bonecos típicos desta marca e atualmente vende cerca de 100 milhões por ano. Todos conhecemos os bonecos da Playmobil, mas há uma história por detrás que só ganha sentido se a for ouvindo dentro da fábrica enorme, em Malta. Prepare-se para a família sentir tudo como se fossem da mesma idade. É que, mal entramos na fábrica da marca icónica, parece que voltamos a ser crianças. Foi tudo explicado, desde o material utilizado para macerar a base dos bonequinhos até aos detalhes todos de cada figura que encontramos nas prateleiras comerciais.

A marca ganhou elevado destaque por ter convertido materiais, na altura da crise do petróleo, que eram aplicados na feitura de cofres e fechaduras… em moldura base de brinquedos. São os brinquedos que mais gosto porque são reversíveis e, como todos sabemos, podemos montar as peças como um jogo de figuras humanas.

O segundo grande destaque da marca de brinquedos focou-se na sua capacidade de generalização: representa profissões, etnias, figuras políticas, etc. Representa a vida. Enquanto eu estive na fábrica não perdi pitada da linha de processamento e das fases de elaboração de cada seriação de bonecos.

No final da tour, todos levamos um souvenir gratuito. Tenho-o até hoje e fiquei muito feliz quando nos deram o bonequinho, à escolha, pois eu sempre quis ter alguns em criança e não pude. É que a Playmobil é uma marca muito cara considerando o tamanho dos brinquedos, mas agora tenho o meu e muito mais: a história completa dos brinquedos todos da Playmobil. Vale a pena crescer para viajar até Malta e até à infância.

Cada explicação é facultada por funcionários diferentes, encarregues por secções de produção distintas na fábrica. E isso ainda é mais interessante, pois percebemos o valor deste brinquedo. Aproveito para sugerir que leve a família também à loja onde pode adquirir edições limitadas, em primeira mão.

Atenção às crianças com menos de quatro anos pois a dimensão destes bonecos não é recomendável para elas. Mas apaixone-se repetidamente pelos brinquedos, pois foi o que me aconteceu durante o meu passeio de ‘Peter Pan’. Com muito orgulho.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.