Espanha é um dos países que nunca nos cansamos de voltar. Para além da sua proximidade com Portugal, tem paisagens incríveis, muita história e… tapas. Na nossa última viagem por terras espanholas, descobrimos cantinhos maravilhosos e até alguns que nunca ouvíramos falar.

No total, foram quatro dias muito intensos mas que nos souberam muito bem. Desta vez fomos de carro e conhecemos Ciudad Rodrigo, Salamanca, La Alberca e Mogarraz. Dividimos a viagem da seguinte forma: a primeira paragem foi na Ciudad Rodrigo, onde almoçámos e explorámos um pouco o centro. Seguimos então para Salamanca, onde ficámos duas noites. No terceiro dia, visitámos La Alberca e pernoitámos a última noite em Mogarraz.

La Alberca

La Alberca foi a nossa primeira paragem no terceiro dia. Saímos bem cedinho de Salamanca, deixando para trás uma cidade maravilhosa, e rumámos a esta pequena aldeia, no coração do Parque Natural Las Batuecas.

La Alberca
créditos: Viver o Mundo

Apesar de não ser muito grande é uma das mais conhecidas, como tal é também a mais turística. A aldeia mantém, nos dias de hoje, uma arquitetura tradicional que combina pedra e madeira. Apesar das casas estarem ali há séculos, como confirmado pelas datas inscritas nas suas portas, estão bastante bem preservadas (algumas já sofreram recuperações). Uma vez que toda a aldeia mantém os traços originais, conferindo-lhe um ar medieval, é impossível não sermos transportados para um cenário de um filme daquela época.

O que fazer em La Alberca

A maior dica que podemos dar sobre La Alberca é: perca-se pelas ruelas estreitas e labirínticas da aldeia e aprecie todos os pormenores. Repare também na arquitetura peculiar das casas, às riscas castanhas e brancas. Um charme!

Todas as ruelas vão dar à Praça Maior, a praça central da aldeia – que é muito bonita, por sinal. Esta é rodeada por casas assentes em coluna, alguns cafézinhos e comércio local. É aqui que se localiza também o posto de turismo. Faça como nós, e peça ali o mapa turístico da aldeia. No centro da praça encontramos uma cruz de pedra e uma fonte.

La Alberca
créditos: Viver o Mundo
La Alberca
créditos: Viver o Mundo

Visite ainda a Igreja de Nuestra Sra. de la Asunción, toda feita de pedra. O seu interior também é muito bonito.

Ao chegar à igreja reparámos numa estátua de um porco em pedra, e claro que quisemos logo saber a sua história. Nas festas de San Antonio de Pádua, o município compra um porco e depois de abençoado é libertado nas ruas da aldeia com um sino ao pescoço. Os moradores dão-lhe de comer até meados de janeiro, e depois é sorteado entre eles.

La Alberca
La Alberca créditos: Viver o Mundo

Histórias à parte, La Alberca é muito famosa pelos seus enchidos, especialmente os presuntos. O cheiro que emana nas ruas não deixa dúvidas disso mesmo.

Andando mais um pouco, irá encontrar La Puente, uma ponte de pedra que dá um toque ainda mais genuíno à aldeia.

Depois de muito deambularmos pelas ruelas, estava na hora de encher a barriguinha. Comemos uma Parrillada (várias carnes) muito bem servida, num dos restaurantes da aldeia. Despedimo-nos em grande desta aldeia tão autêntica.

La Alberca
créditos: Viver o Mundo

Mogarraz

Já a tarde ia longa, quando chegámos a Mogarraz, onde iríamos passar a noite. Apenas 10 km separam as duas aldeias, pelo que recomendamos visitar ambas. Apesar de não ser tão afamada como La Alberca, podemos afirmar que é uma das aldeias mais genuínas onde já estivemos, longe do turismo em massa.

Mogarraz
créditos: Viver o Mundo

Tal como acontece em La Alberca, Mogarraz também soube preservar a sua arquitetura e tradições. A melhor forma de conhecer Mogarraz é caminhar sem rumo pelas suas ruelas, que lhe valeram o título de Património Histórico.

O que fazer em Mogarraz

Visto ser uma aldeia pequenina, conseguimos ver todos os locais naquele mesmo dia. Mas, mesmo sendo pequena em tamanho é grande em autenticidade, pelo que ficámos completamente rendidos.

Tal como referimos, não há melhor maneira de conhecer a aldeia senão deambulando pelas suas ruas estreitas. No entanto, o que atrai fortemente a atenção em Mogarraz é a exposição de retratos que adornam as fachadas das casas e da igreja. Sim, leu bem! São mesmo quadros onde estão pintados os rostos dos antigos moradores da povoação.

Mogarraz
créditos: Viver o Mundo

Passamos a explicar: tudo começou em 1967, quando Alejandro Martín Criado fotografou todos os moradores do município, para que formalizassem o seu documento de identidade. Em 2008, o pintor local Florencio Maíllo recuperou este arquivo fotográfico, transformando-o numa galeria de arte a céu aberto, literalmente. São cerca de 400 obras distribuídas pelas ruas de Mogarraz. É fascinante!

Mogarraz
créditos: Viver o Mundo

Se pretende conhecer um pouco da história da vila, sugerimos visitar o Museu Etnográfico “Casa de las Artesanías”, onde encontrará magníficos trajes e bordados e outros trabalhos artesanais.

À entrada da aldeia vai encontrar a Cruz dos Judeus (século XVII), localizada ao lado da Ermita del Humilladero (século XIII). Na parte de trás está a Fuente del Humilladero.

Não deixe de visitar também a Igreja de Nossa Senhora das Neves, onde irá encontrar no interior a Virgen de las Nieves, padroeira da vila.

Mogarraz
créditos: Viver o Mundo

Outro local de interesse é a Torre del Campanario (século XVII). A torre está isenta da igreja e sugere uma função defensiva.

E, finalmente, vá até à praça principal da aldeia, onde os locais se juntam ao final do dia. A praça é muito amorosa e é o local ideal para descansar ou beber um refresco.

Mogarraz
créditos: Viver o Mundo

Se gosta de trilhos, é possível fazer o Camino del Agua, numa perfeita harmonia com o meio ambiente. Veja aqui todas as informações do trilho.

Acabámos por jantar no Bar Fuente la Pila, onde provámos os bocadillos (deliciosos, por sinal). Alertamos para o facto de, ao final da tarde, surgirem muitos mosquitos. Como tal, previna-se e traga repelente na mala.

Quando visitar estas aldeias pode pernoitar tanto em La Alberca como em Mogarraz. A nossa decisão recaiu sobre esta última pois como não tem tanta fama, ficava mais barato, ainda que não haja muita variedade. Reservámos através do Booking (como sempre) e ficámos no El Humilladero. Para uma noite serviu perfeitamente.

Meandro del Melero

No dia seguinte, o quarto e último dia por terras espanholas, fizemos um pequeno desvio que não estava incluído no roteiro inicial. Como já tínhamos visitado a aldeia toda no dia anterior, fomos em busca de uma das panorâmicas mais bonitas de Espanha.

Meandro del Melero
créditos: Viver o Mundo

A cerca de 35 minutos de Mogarraz encontramos um verdadeiro óasis: o Meandro del Melero. As águas do Rio Alagón formaram ao longo dos séculos uma das mais espetaculares formações fluviais de toda a península Ibérica.

O melhor local para uma vista desafogada para o Meandro del Melero é, sem dúvida, no Mirador de la Antigua. Se pretender, pode fazer um agradável passeio de barco pelo meandro.

Artigo originalmente publicado no blogue Viver o Mundo

Encontre no Instagram mais inspiração para as próximas escapadinhas

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.