A primavera já chegou, o tempo está a aquecer e as flores começam a desabrochar. E a verdade é que não há ninguém mais entusiasmado com a época da floração do que os japoneses, ou talvez haja... A cidade de Washington nos EUA acolhe a maior celebração da primavera no país, o Cherry Blossom Festival.

A geógrafa Eliza Scidmore foi a primeira pessoa a propor a plantação de cerejeiras na capital americana no final do século XIX, após ter regressado a Washington depois de uma visita ao Japão. No entanto, o seu projeto só teve pernas para andar em 1909 quando conseguiu o apoio da primeira dama Hellen Herron Taft, mulher do presidente William Howard Taft. A primeira tentativa aconteceu no ano seguinte, quando chegou a Washington um carregamento de duas mil cerejeiras provenientes do Japão. No entanto, após o desembarque, verificou-se que as árvores estavam infectadas com parasitas e tiveram de ser destruídas. Numa cerimónia simbólica, em março de 1912, a primeira dama norte-americana e a mulher do embaixador do Japão nos EUA plantaram as primeiras duas cerejeiras na margem norte da Tidal Basin, uma lagoa artificial criada para ser uma área de lazer em pleno coração da capital administrativa norte-americana. Nesse mesmo ano, o presidente da câmara de Tóquio, Yukio Ozaki, ofereceu três mil cerejeiras à cidade de Washington. Embora apenas cerca de 150 árvores dessa doação inicial se mantenham até hoje, muitas outras foram sendo plantadas na zona envolvente à lagoa ao longo dos anos, pelo que, quando chega a época de floração, há cerca de quatro mil cerejeiras a assinalar a chegada da primavera e a lembrar a amizade existente entre as duas nações.

O primeiro Cherry Blossom Festival teve lugar em 1935 e desde então transformou-se na maior celebração da primavera em todo o país. Quando chega a época da floração tanto os habitantes da cidade, como aqueles que a visitam têm os olhos postos na zona envolvente à lagoa. Mas este festival vai muito para além de apreciar as árvores floridas, já que compreende um vasto programa de eventos que se realizam um pouco por toda a cidade e também nos subúrbios, cujo programa passa por promover a arte e a cultura tradicionais e contemporâneas, o ambiente, a educação e o espírito de comunidade.

O início do festival é marcado por aclamadas performances protagonizadas por artistas americanos e japoneses. A cerimónia de abertura tem lugar no Warner Theatre e honra a relação de amizade entre os EUA e o Japão, através da celebração da cultura dos dois países. Um dos mais aguardados eventos é o Southwest Waterfront, que pressupõe oito horas seguidas de entretenimento, que inclui música ao vivo, workshops, atividades aquáticas, jogos e comes e bebes. Um dos destaques do evento é o espetáculo de fogo de artifício, que se realiza quer chova ou faça sol. E o festival termina com uma enorme parada onde participam pessoas de todo o mundo.

Atualmente, o Cherry Blossom Festival dura quatro semanas e acolhe cerca de milhão e meio de pessoas que vão a Washington para assistir a este bonito fenómeno da natureza que é a floração das cerejeiras. Se está a planear visitar Washington e quer saber mais sobre a história da cidade, vá a JiTT.travel e descarregue o roteiro temático “Washington - Lincoln e a Guerra Civil”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.