Eça de Queiroz era uma pessoa cosmopolita, um “cidadão do mundo” como lhe chamaríamos hoje. Com efeito, visitou e viveu em vários países do mundo, até porque as suas obrigações como diplomata o obrigavam a tal. Ainda antes da publicação dos seus maiores êxitos literários, aos 24 anos, Eça de Queiroz viajou pelo Egito, o que influenciou algumas das suas obras posteriores, sendo o melhor exemplo disso A Relíquia. Dessa experiência resultou um livro intitulado O Egito. Notas de Viagem, que hoje ainda conta com várias edições nos escaparates.

Eça de Queiroz, caricatura por Bordallo Pinheiro
J.C. Tenreiro | CC BY-SA 4.0 | wikipedia créditos: wikipedia

É certo que as transformações políticas e sociais que o país sofreu mudaram a face do Egito e, em larga medida, se recriarmos a viagem de Eça vamos ter dificuldades em encontrar o país que ele visitou. No entanto, os traços milenares da civilização do Antigo Egito bem como os seus lugares sagrados permanecem largamente intocados.

Tem dúvidas? Então veja a galeria abaixo e compare fotografias do Egito contemporâneo com as palavras do próprio Eça.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.