Mas afinal o que mudou desde os anos 80 até aos dias de hoje em Medellín e Cáli e qual foi o impacto no turismo da Colômbia?

Na década de 80 e 90, Medellín era classificada como uma das cidades mais perigosas do mundo e tudo por causa de um homem: Pablo Escobar, cujo retrato de vida está a ser apresentado agora pela Netflix. Na altura, a cidade estava tomada pelo tráfico de drogas e todo tipo de criminalidade até a morte de Pablo Escobar, em 1993.

Em 1991, havia 6500 homicídios na cidade. Até 2009, a taxa de homicídios diminuiu para 2900. A taxa de assassinatos por 100 mil pessoas caiu de 184 em 2002 para 38 em 2013. Em 1991, morreram 750 homens por 100 mil habitantes por assassinato, demonstrando a influência que a morte de Escobar e o desmantelamento do cartel de Medellín teve na cidade.

Medellín
Ruas de Medellín créditos: Iván Erre Jota

Nos últimos anos, a cidade teve uma forte transformação, centrada na segurança, cultura e educação. Hoje, é uma cidade universitária por excelência.

Medellín, a segunda maior cidade da Colômbia (atrás da capital Bogotá), com três milhões de habitantes, começa agora a atrair mais turistas, mas o tema da insegurança continua presente, porque a violência ligada ao narcotráfico continua a afetar algumas áreas rurais da cidade, fazendo com que um passeio em Medellín seja sempre feito com cautela, como em qualquer grande cidade. Ouça os conselhos dos locais, não ande com objetos de valor e mantenha-se nas zonas urbanas, se estiver sozinho. Caso queira visitar as zonas mais rurais, faça-o através de agências de turismo.

Em 2013, Medellín foi distinguida com o prémio "Cidade Inovadora do Ano" pelo The Wall Street Journal, superando as rivais Nova Iorque e Tel Aviv, mostrando ao mundo que está a melhorar. Para perceberam o esforço da recuperação da cidade, Medellín nem consta na última lista das 50 cidades mais perigosas do mundo.

Medellín durante o Natal
Medellín durante o Natal créditos: Iván Erre Jota

Pueblito Paisa, Los Alumbrados, durante o Natal, a Catedral Metropolitana, Museu de Antioquia e Junin constituem os pontos turísticos de maior interesse e afluência desta cidade colombiana.

Cáli, a 10ª cidade mais perigosa do mundo

Depois da morte de Pablo Escobar e do enfraquecimento do cartel de Medellín, o reino do narcotráfico passou para Cáli e para o comando dos irmãos Gilberto e Miguel Rodríguez Orejuela. O cartel de Cáli controlou 80% das exportações de cocaína da Colômbia para os Estados Unidos após o desmembramento do cartel de Medellín e da morte de Pablo Escobar.

Desde os anos 90, Cáli é o ‘quartel-general’ de algumas das organizações de tráfico de droga mais temidos da Colômbia. Além do cartel de Cáli, também o de Vale do Norte e, desde o início deste século, o de Los Rastrojos, dominam a terceira maior cidade colombiana.

Cáli, Colômbia
Cáli créditos: Pixabay

Atualmente, a taxa de homicídios é muito maior do que em Bogotá e Medellín. Cáli conseguiu reduzir a sua taxa de assassinatos de 1909 para 1559 entre 2013 e 2014 (82 para 66 por cem mil habitantes). No entanto, continua bem acima da média nacional (27). Em 2016, a cidade foi considerada a 10ª mais perigosa do mundo. Palmira é a cidade mais perigosa da Colômbia, ocupando a oitava posição.

Além dos ‘gangues’ que operam a nível nacional, a cidade tem atualmente cinco quadrilhas que operam desde o centro de Cáli. A incidência de criminalidade juvenil nos últimos 20 anos aumentou 1340% em Cáli, passando de 10 grupos de máfia em 1992 para 134 em 2012.

Apesar de o crime relacionado com cartéis conseguir a maior parte da atenção da imprensa colombiana, o crime de rua é o que mais atinge a população de Cáli. De acordo com o Departamento de Polícia da cidade, 20 pessoas são roubadas por dia e este número está constantemente crescimento.

Vendedor em Cáli
Vendedor em Cáli créditos: Cindy Muñoz

Por estas razões, qualquer visita a Cáli deve ser feita ainda com mais precaução do que Medellín porque a criminalidade continua muito presente. Certifique-se que reúne todas as condições para a visitar, ponderando os prós e os contras de uma visita turística.

Plaza de Caycedo, Cristo Rei, La Ermita, Barrio Granada, Torre de Cáli e Estátua de Belalcázar são alguns dos pontos de interesse turístico da cidade. Cáli é conhecida ainda por ser a capital da Salsa.

Em 2015, a Colômbia recebeu quase três milhões de turistas. Em 2006, havia recebido apenas um milhão. Bogotá (54,5%), Cartagena (11,2%), Medellín (9,6%) e Cáli (6,9%) são as cidades mais visitadas. Os norte-americanos são os mais curiosos por visitar o país, seguidos dos europeus, com números a rondarem os 300 mil visitantes.

Bogotá
Bogotá créditos: Martinduquea

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.