Há muitas teorias que explicam a razão da cidade ser azul. Algumas são práticas — dizem que a cor serve para afastar os mosquitos; outros referem que Chefchaouen só ganhou a sua cor azul quando os judeus que fugiam do regime nazi, durante a Segunda Guerra Mundial se instalaram ali, porém, a minha explicação preferida é outra, uma lenda romântica.

Reza a lenda que Chefchaouen, conhecida como Shafshawan em árabe, foi fundada por um muçulmano, Sidi Ali Ben Rachid, que se apaixonou loucamente por uma espanhola chamada Zhora, que vivia em Cádiz, precisamente na altura em que a região foi reconquistada aos mouros pelos cristãos.

Chefchaouen: já conhece a pérola azul de Marrocos?
créditos: The Travellight World

O casal foi obrigado a exilar-se em Marrocos e ao chegar a este país do norte da África estabeleceu-se junto da população berbere. Sidi Ali Ben Rachid ganhou poder e influência dentro da tribo, mas a sua amada esposa não conseguiu superar a tristeza de estar longe de casa e da sua família. Então para animar a esposa, Rachid resolveu construir uma cidade semelhante a Vejer de la Frontera, em Cádiz, e pintá-la de azul para a tornar mais alegre e bonita.

Gosto de acreditar nesta versão porque Chefchaouen — de tão linda que é — transforma-se com facilidade num destino perfeito para casais apaixonados.

Importa, no entanto, referir que, de acordo com os livros de história, a cidade foi fundada para servir de base aos muçulmanos que pretendiam travar o avanço dos portugueses em Marrocos.

Chefchaouen: já conhece a pérola azul de Marrocos?
créditos: The Travelight World

Enfim, guerras à parte, deixem-me contar como é interessante a “pérola azul de Marrocos".

Tinha visto muitas fotografias e quando cheguei estava curiosa para saber se a cidade era de facto toda azul ou se só algumas casas e ruas tinham essa cor. Depressa percebi que o azul dominava de facto a paisagem. E que bonito era!

Apesar de atualmente ser um dos lugares mais turísticos de Marrocos, Chefchaouen é um lugar tranquilo, principalmente quando os grupos que visitam a cidade apenas por um dia, partem.

A cidade está cheia de recantos charmosos, portas bonitas, escadarias e muita cor! É o paraíso de qualquer amante de fotografia.

Chefchaouen: já conhece a pérola azul de Marrocos?
créditos: The Travellight World

Não posso deixar de falar também nos gatos de Chefchaouen. São tantos e tão lindos. Estão por todo o lado!

Chefchaouen tem de igual modo mercados animados e bons restaurantes locais.

Para um refeição memorável, recomendo o Chez Hicham. Chez Hicham tem um piso superior com um agradável terraço ao ar livre e uma sala interior com lareira que deve ser super aconchegante nos dias mais frios. A salada de queijo deles é deliciosa!

Na Praça Uta el-Hammam — a praça central da Medina — também existem vários bares e restaurantes, além de muitas lojas de artesanato e de especiarias que vendem de tudo, com destaque para sabonetes de ervas, incenso, perfumes, produtos naturais para a pele e especiarias de todas as cores e cheiros. É uma experiência visual e olfativa única visitar um espaço destes.

Chefchaouen: já conhece a pérola azul de Marrocos?
créditos: The Travellight World

Em frente da Praça fica o Kasbah, a cidadela fortificada onde encontramos a parte mas antiga de Chefchaouen. Dentro dessa fortaleza murada existe um enorme jardim central, uma velha prisão, uma antiga moradia que agora abriga uma galeria de arte com trabalhos de artistas locais e uma enorme torre com uma exposição que conta a história da cidade. Vale a pena a visita e subir até ao último andar da torre para apreciar a vista.

Outra atração a não perder é a Mesquita de Jemme Bouzafar (conhecida como a Mesquita Espanhola) que fica no topo de um monte e tem uma das melhores vistas da cidade ao por do sol.

Por estar localizada numa região montanhosa, existem também algumas trilhas a explorar por aqueles que gostam de caminhar. Escalar o Jeber El-Kelaa é outra das opções.

Chefchaouen: já conhece a pérola azul de Marrocos?
créditos: The Travellight World

COMO CHEGAR E ONDE FICAR:

Tânger é a cidade com aeroporto internacional mais próxima de Chefchaouen e fica a cerca de 2 horas de distância de carro. A cidade de Fez fica a 3 horas e meia ou mais (se for num autocarro da rede pública pode levar até 4 horas e meia) e Rabat fica a cerca de 4 horas. A melhor forma de chegar à cidade azul para quem não pretende alugar uma viatura ou viajar em transportes públicos é ir num tour organizado.

Quanto à estadia, não há muitos hotéis em Chefchaouen, no entanto, existem muitos Airbnbs agradáveis onde nos podemos hospedar. O Dar Elrio é um dos preferidos dos turistas.

Dá um pouco de trabalho chegar a Chefchaouen, mas o esforço vale a pena.

Sigam as minhas viagens mais recentes nas stories do Instagram

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.