Por Miriam Augusto, fundadora e líder de viagens The Wanderlust

Marrocos é um país cativante e cheio de cor transbordando uma beleza que atrai viajantes de todos os tipos; desde casais e grupos de amigos e famílias, a pessoas à procura de luxo ou de viagens económicas. Torna-se especialmente atraente para quem está à procura de uma mistura de exótico com familiar, dando assim os primeiros passos em viagens fora da sua zona de conforto. Aqui estão as principais razões pelas quais Marrocos é um óptimo destino para quem está a começar a viajar.

Proximidade da Europa

Barcos típicos em Essaouira
Barcos típicos em Essaouira créditos: Miriam Augusto

É extremamente fácil e rápido chegar a Marrocos quer por via aérea, com voos directos entre 1 a 2 horas de viagem a partir de Portugal, quer por via marítima, graças às diversas ligações diárias de ferry-boat a partir de Espanha.

Não é necessário visto

Cascade d'Ouzoud
Cascade d'Ouzoud créditos: Miriam Augusto

Para entrar em Marrocos, tudo aquilo que os cidadãos portugueses precisam é de um passaporte válido, estando isentos de visto para estadias até 90 dias. Para quem decidir aventurar-se numa road trip pelo país, a entrada e saída do veículo é registada informaticamente e o número correspondente é carimbado no passaporte, não podendo a sua permanência em terreno marroquino ser superior a 6 meses. Fica a dica de que, caso a entrada seja feita com um veículo que não está no nome do condutor, não se apresentando o proprietário presente, é necessário, na chegada à fronteira, apresentar uma declaração do proprietário do veículo a dar autorização para condução deste em território marroquino, durante o período de tempo que lá irá permanecer, devidamente datada, assinada e autenticada por um notário, acompanhada de uma fotocópia do documento de identificação do mesmo.

Não há barreira linguística

Marrocos
créditos: Miriam Augusto

Com árabe e berbere como línguas oficiais, a comunicação em Marrocos raramente é um problema. Tendo sido uma colónia francesa, o francês é amplamente falado. Em zonas mais turísticas também é possível falar inglês ou espanhol. Mais a norte, com sorte, ainda se encontra alguém a falar português. Contudo, a verdadeira linguagem que aqui impera é a dos sorrisos.

Influência cultural diversa

Medersa Ben Youssef
Medersa Ben Youssef créditos: Miriam Augusto

Marrocos tem uma história rica resultante da amálgama de culturas berbere, árabe, africana e europeia. Sendo a sua população composta por árabes e berberes, ambos contribuíram para as ricas tradições e práticas culturais que ainda hoje se observam no país. Dos tempos em que os muçulmanos andaluzes se mudaram para o norte de África, destacam-se as influências da Andaluzia e da era colonial, são patentes heranças francesas, portuguesas e espanholas um pouco por todo o país. Para uma nação predominantemente islâmica, é de salientar a relevância da presença judaica no país, encontrando-se aqui o único Museu Judaico em todo o mundo árabe, na cidade de Casablanca. Tudo isto se junta para fazer de Marrocos um país com cidades cheias de história e carácter, que nos transportam no tempo por entre as suas caricatas medinas, agitados souks e palácios exuberantes.

Diversidade paisagística

Alto Atlas
Alto Atlas créditos: Miriam Augusto

Com uma área de 446 550 Km2, Marrocos presenteia-nos com uma variedade de paisagens naturais impressionantes. As montanhas no seu interior são de cortar a respiração! Dividindo-se em médio, alto e anti Atlas, oferecem uma variedade de actividades de caminhada para todos os níveis de dificuldade e experiência. Contudo, o maior destaque vai para o Mount Toubkal, o pico mais alto do norte de África, com 4167 metros de altitude. O deserto, com os seus extensos montes ondulantes de areia, possibilita-nos contemplar fins de tarde vestidos de tons de vermelho, laranja e amarelo e um céu estrelado impossível de esquecer. As suas praias, que se estendem do Oceano Atlântico ao Mar Mediterrâneo, proporcionam verdadeiros momentos de relaxamento nas suas areias, sendo perfeitas para os amantes de desportos náuticos.

Sociedade tolerante com povo hospitaleiro

Deserto do Saara
Deserto do Saara créditos: Miriam Augusto

Marrocos é conhecido por ser um dos países árabes mais tolerantes do mundo. Os marroquinos, tanto árabes como berberes, também são conhecidos pela sua calorosa hospitalidade e natureza amigável. Em zonas mais remotas, é normal os viajantes serem olhados de forma curiosa, mas geralmente seguem-se alegres acenos, especialmente das crianças, e tentativas de início de conversa. O convite para um chá, surge inúmeras vezes e deverá ser aceite com agrado.

Deslocação fácil dentro do país

Vale do Dades
Vale do Dades créditos: Miriam Augusto

Com uma rede de estradas razoável, as conexões entre cidades de transportes públicos como autocarro e comboio são bastante boas. Existem ainda os grand taxi, taxis colectivos para quem quer percorrer longas distâncias. Dentro das cidades, existem os autocarros e os petit taxi que, ainda que ocupados, podem sempre parar para levar mais uma ou outra pessoa. No geral, recorrendo a táxis, a tarifa deverá sempre ser acordada antes de se iniciar a viagem.

Relativamente seguro

Marrocos
créditos: Miriam Augusto

O país é relativamente seguro, pacífico e estável. Contudo, como na maioria dos lugares do mundo, há pickpockets (carteiristas) nas grandes cidades, sendo necessário ser especialmente cauteloso nos souks e medinas mais movimentados. Tal como noutros destinos, deve-se evitar caminhar sozinho à noite em zonas pouco iluminadas ou movimentadas, especialmente as mulheres não acompanhadas. Em todos os souks da grandes cidades, a polícia turística costuma circular à paisana e sempre que necessário intervém. Caso seja necessário, dever-se-á recorrer ao posto mais próximo sendo uma boa forma de ver um problema resolvido de forma eficaz.

Grande oferta para todos os gostos e carteiras

Acampamento berbere no deserto
Acampamento berbere no deserto créditos: Miriam Augusto

De luxuosos a humildes restaurantes, de exuberantes hotéis a acampamentos berberes no deserto, Marrocos oferece lugares para ficar e comer para todo o tipo de orçamentos, níveis de conforto e expectativas. Em termos de alojamento, é possível ficar em casas típicas marroquinas, conhecidas como riads e dars, nas antigas medinas das grandes cidades. Nas zonas mais remotas, pode-se recorrer a albergues ou acampamentos. Em termos de refeições, para quem procura uma viagem mais económica, estas podem começar em 1€ e acabar em 15€ e os alojamentos podem começar nos 10€ e acabar 40€.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.