Ian Smith viajou com a Jetstar de Ballina para Sydney a 22 de janeiro e, depois, de Sydney para Melbourne no dia 2 de fevereiro, sem dificuldade. Nas duas ocasiões, foi auxiliado pela equipa da companhia aérea, uma vez que se desloca em cadeira de rodas.

No entanto, a companhia aérea não permitiu que o homem, de 67 anos, viajasse de volta a casa, em Ballina, no dia 8 de fevereiro, argumentando que o seu peso era um problema.

Ian ficou retido num quarto de hotel, durante cinco dias, enquanto tentava resolver o problema e conseguir voltar a casa. O homem, que  trabalhou como agente da polícia durante 29 anos, descreveu a experiência como "traumática".

"Eles tratam-me como um idiota e eu não sou um idiota. Estou incapacitado, mas ainda sou um ser humano", disse em declarações ao 7 News.

De acordo com a 7 News, a Jetstar confirmou que o peso de Ian era o problema e disse que a equipa que o ajudou nos outros voos estava a violar a política da empresa e não deveria permitir que ele embarcasse. Desde então, pediram desculpas a Ian pelo incidente e o homem foi levado para casa, cinco dias depois, pela Qantas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.