O primeiro lugar do ranking da Henley Passport Index é ocupado pelo Japão, país que mantém esta posição por cinco anos consecutivos.

Isso significa que os portadores do passaporte nipónico podem visitar 193 destinos mundiais sem a necessidade de visto - num total de 227 destinos.

E é esta vantagem que confere poder aos passaportes  - ter "porta aberta" para vários lugares do mundo, sem a necessidade de obter um visto.

O segundo lugar é ocupado por Singapura e Coreia do Sul (192 destinos). O terceiro é divido entre Alemanha e Espanha (190 destinos). Em quarto lugar, estão Finlândia, Itália e Luxemburgo (189). Na quinta posição, surgem os países Áustria, Dinamarca, Países Baixos e Suécia (188).

O passaporte português permite que se visite 187 lugares sem a necessidade de visto, o que lhe confere a sexta posição no ranking, juntamente com França, Irlanda e Reino Unido.

O restante top 10 é composto por:

7. Bélgica, República Checa, Nova Zelândia, Noruega, Suíça e Estados Unidos (186).

8. Austrália, Canadá, Grécia e Malta (185).

9. Hungria e Polónia (184).

10. Lituânia e Eslováquia (183).

Do lado oposto da tabela, os países com os passaportes mais fracos são: Afeganistão (27 destinos), Iraque (29), Síria (30) e Paquistão (32).

Ter um passaporte forte é não só uma forma de explorar mundo sem fronteiras, mas também uma vantagem para a economia mundial, refere a nota divulgada no site da Henley Passport Index.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.