Breanne Ayala, de 24 anos, está a processar o site de viagens e sua subsidiária, Viator, por negligência e quebra de contrato por não garantirem que a empresa de turismo estivesse a operar com segurança, segundo informou o Boston Globe.

A jovem e a família reservaram um passeio de camelo ao pôr do sol em Marraquexe através da Viator, no entanto, Breanne Ayala nunca foi informada pela empresa de turismo que a camela que ia montar estava grávida e a um mês do parto. Durante o passeio, o animal fugiu da caravana e fez com que Ayala caísse e partisse o braço.

Os responsáveis esperaram uma hora para chamar uma ambulância até o proprietário da empresa chegar, segundo informa o processo. Ayala fez uma cirurgia em Marrocos após os médicos a informarem que ficaria com danos permanentes se não a fizesse.

O processo afirma que o TripAdvisor e a Viator deveriam estar cientes de que a empresa de turismo usava camelos "que sabiam ser destreinados e em condição física debilitada". As empresas, no entanto, não quiseram comentar sobre o processo. De acordo com o site, a Viator ajuda os viajantes a pesquisar e reservar atividades em todo o mundo e fornece avaliações de clientes, mas não opera os passeios e não é responsável por quaisquer problemas relacionados. Quando os clientes reservam um passeio pelo site, precisam concordar com os termos de serviço da empresa, que especificam que as interações com os "fornecedores" da atividade são "por sua conta e risco".

No entanto, o advogado da jovem, Andrew Abraham, defende que o TripAdvisor e a Viator ganham dinheiro com as reservas dos passeios e têm a responsabilidade de garantir que as excursões sejam seguras.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.